Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Chegando o aniversário da cidade, o tema veio à tona… Lembram desse texto do Lamas? Compartilhamos aqui no blog em março de 2009.


Você virou (ficou) um jaraguaense? Vinte e cinco evidências
Marcelo Lamas

Diz-se que alguém “acultura-se” quando assume hábitos e costumes não comuns na sua origem. Ao mudar de região, muitos tentam manter o estilo de vida que tinham na sua procedência, como as roupas (lojas e forma de vestir-se), médicos, compromissos e culinária, entre outros.

Porém, conforme o tempo avança, as pessoas acabam cedendo à sua relutância inconsciente e ajustam-se ao ritmo de vida do meio onde estão inseridas.

Para ser um jaraguaense (por opção ou necessidade) basta enquadrar-se em, pelo menos, cinco dos itens a seguir:

1) Comprar um terreno (“schon”);
2) Casar com uma frida (ou fritz), sendo que às vezes eles vêm acompanhados dos terrenos;
3) Ter um pijama da Malwee (exigido na hora da compra);
4) Ter um automóvel com placa de Jaraguá do Sul;
5) Ter um cartão Breithaupt;
6) Achar Guaramirim longe;
7) Ter como meta de consumo uma casa em Barra Velha;
8 ) Ir, pelo menos uma vez na vida, ao Chopp Club ou Vitória;
9) Ir à missa todo o sábado ou domingo à noite;
10) Ouvir o resultado do jogo do bicho no rádio;
11) Confundir-se, sem perceber, ao pronunciar o duplo “r”;
12) Não conseguir sair do supermercado sem levar consigo uma lata de salsicha, um quilo de banana, um pacote de linguiça e um vidro de pepino em conserva;
13) Conhecer o refrão de três músicas alemãs e dançá-las com maestria;
14) Carregar guarda-chuva na bolsa;
15) Em viagem, quando perguntado: ” — De onde você é ?”, responder: “Jaraguá do Sul”.
16) Passar o domingo no Parque Malwee;
17) Fazer analogias favoráveis à sua terra natal, mas estar residindo por aqui há mais de três anos;
18) Ter um filho em Jaraguá do Sul;
19) Ter uma segunda profissão para “engordar” o orçamento;
20) Trabalhar mais de dez horas diárias, naturalmente;
21) Preocupar-se com uma possível seca, depois de uma incrível sequência de três dias ensolarados;
22) Transferir o título eleitoral para Jaraguá do Sul;
23) Trocar o carro usado em Curitiba;
24) Parar no meio do expediente para comer um pão trazido de casa;
25) Achar qualquer prato sem batatas, incompleto.

A situação de “aculturar-se” em Jaraguá do Sul torna-se irreversível, quando você se enquadrar em todos as situações acima, ou ainda medir o seu percentual, preocupado em não parecer um nativo local. Mas o interessante é chegar sozinho à conclusão de que você é um jaraguaense.


Pra fechar com chave de ouro, compartilho o vídeo que a turma do Escritório de Cinema publicou fazendo teaser ao documentário “Jaraguá 2010. E agora?“. Olha o treeeeeeeem:

[youtube_sc url=”http://www.youtube.com/watch?v=efJ8g_RHPDc” width=”640″ autohide=”1″]

Essa buzina me dá nos nervos.