Por: Cláudio Costa | 3 anos atrás

Todo carro novo vem com o kit obrigatório contendo uma chave de rodas, um triângulo e um macaco. Caso o motorista esteja adquirindo um carro usado, ele precisa atentar sobre a presença, a localização e o estado do kit. Essa cautela é importante pois, além de sua falta ser considerada infração de trânsito gravíssima, que acarreta em multa de R$ 191,54 e em sete pontos na carteira de habilitação, o kit garante que o motorista não fique na mão no caso de imprevistos.

Mas além de impedir uma multa, para que serve o kit obrigatório e qual a melhor forma de utilizar seus componentes? Nem todo motorista de primeira viagem sabe disso e acaba tendo dificuldades para descobrir na hora do aperto. Também é bom verificar onde ele está localizado no carro – normalmente, ele fica embaixo do estepe, mas é importante confirmar essa informação no manual, e sempre conferir seu estado.

Conheça um pouco melhor os componentes do kit obrigatório:

Chave de rodas: como o kit é utilizado principalmente na hora da troca do pneu, a chave de rodas tem importância fundamental, pois é com ela que afrouxamos os parafusos do pneu. Antigamente, ela tinha formato de estrela, mas as novas são em “L”, e até podem vir acompanhadas de um adaptador, que funciona como alavanca para parafusos mais resistentes.

Triângulo: o triângulo é um dos mais importantes itens de segurança do seu veículo. Sempre que o carro estiver parado na vida, seja para a troca do pneu, alguma pane no sistema, acidente, ou até uma parada mais prolongada, é recomendado que o motorista posicione o triângulo para alertar os outros veículos da situação.

Ele deve ser colocado a uma distância a partir de 10 metros do carro e é importante prestar atenção se o suporte está bem encaixado, garantindo que o triângulo fique em pé. Em casos de estradas e vias mais movimentadas, caso acredite que ele não chama atenção suficiente, o motorista pode optar por unir galhos de árvore a essa sinalização.

Macaco: o macaco é um item essencial na hora de trocar o pneu. É ele quem levanta e sustenta o carro enquanto o motorista faz a troca. Se o seu carro não tiver alguma indicação de onde posicioná-lo, confira o manual e garanta que o colocou na parte metálica, e não na plástica, pois ela pode quebrar com a pressão. Lembre-se de puxar o freio de mão antes de começar a utilizá-lo e sempre verifique se ele está bem firme.

Estepe: o estepe não faz parte do kit obrigatório, mas, sem ele, o kit perde grande parte de sua utilidade. Sendo assim, sua verificação também é muito importante. Caso o carro esteja sem o estepe, a infração acarreta em multa de R$ 127,69 e em cinco pontos na carteira. Muitas vezes ele é furtado e por isso o motorista deve conferir se ele ainda está lá. Além disso, o condutor deve ficar atento à sua calibragem, se está em dia e de acordo com o recomendado pelo manual.

Mais alguns itens: se o motorista achar interessante, também pode acrescentar outras ferramentas ao kit obrigatório, para fazer pequenos reparos inesperados. O manual do veículo traz possíveis diagnósticos e soluções que podem ser feitas por motoristas, desde que estes tenham algum conhecimento básico de mecânica. Mas claro que nenhum reparo substitui o auxílio de um mecânico, então, em caso de problemas, não demore para consultar um profissional de confiança.

Fonte: Giro de Notícias Dunlop