Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

 

Robert Plant diz não a proposta bilionária

Robert Plant diz não a proposta bilionária

Em uma história que só contribui para a lenda do Led Zeppelin, Robert Plant recusou uma oferta de US$ 800 milhões para se reunir com a banda. Seus ex-colegas, Jimmy Page e John Paul Jones, já haviam assinado o contrato para uma série de 35 shows por Londres, Berlim e Nova Jersey.

De acordo com o jornal “Daily Mirror”, Richard Branson, dono do grupo Virgin, é fã da banda e propôs um contrato de 35 shows por três cidades em que Plant, Page e Jones ganhariam US$ 300 milhões cada.

O baterista John Bonham, cuja morte em 1980 provocou o fim do Led Zeppelin, seria representado por seu filho Jason. Caso tivesse ocorrido, a turnê teria sido a mais lucrativa da história.

Plant se recusou a assinar o contrato em frente de produtores chocados, alegando que sentiu que era a coisa certa a se fazer. “Jimmy, John e Jason assinaram o contrato imediatamente”, disse a fonte do “Daily Mirror”. “Nem era uma questão para eles, mas Robert pediu 48 horas para pensar no assunto”.
“Quando ele negou e rasgou as cópias dos contratos que tinha na mão, todos os envolvidos ficaram chocados. Não havia chance de eles irem em frente sem Robert”, disse a fonte.

A proposta ainda incluía a possibilidade de mais 45 shows em outras cinco cidades, aumentando vertiginosamente os possíveis lucros dos envolvidos. A falta de acordo para a megaturnê sabotou os planos grandiosos de Branson, que incluía remodelar um de seus aviões à imagem e semelhança do Starship, um antigo Boeing da United Airlines que serviu de transporte para grandes bandas em turnê, incluindo o Led Zeppelin, entre 1973 e 1975.

Desde a separação da banda em 1980, os membros do Led Zeppelin só tocaram juntos quatro vezes. A última foi em 10 de dezembro de 2007, quando subiram ao palco da O2 Arena, em Londres, para homenagear o executivo musical Ahmert Ertegun.