Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

Imagine a seguinte cena: você está caminhando na rua e um cartaz entre tantos outros chama sua atenção. Branco, com os dizeres em vermelho, o cartaz anuncia: “Eu sou um cartaz HIV positivo” e, ao lado, uma pequena gota de sangue.

Qual seria a sua reação?

campanha

“Sou exatamente como qualquer outro cartaz, com um detalhe: eu sou HIV positivo. É isso mesmo que você leu. Sou portador do vírus. Nesse momento você pode estar dando um passo pra trás e se perguntando se eu ofereço perigo”, diz o texto do cartaz.

Mas, na verdade, não há risco de contágio, explica o médico Artur Kalichman na gravação. O vírus não resiste ao entrar em contato com ar. O “medo” de chegar perto do cartaz seria o mesmo medo que algumas pessoas têm de soropositivos.

O caso aconteceu em São Paulo e se tratou de uma campanha da ONG Grupo de Incentivo à Vida, que luta contra a discriminação com portadores de HIV. Nove voluntários doaram sangue HIV positivo para a produção de 300 cartazes. Confira o resultado e tente não se emocionar:

Alguém precisa de um lenço aí? Fica a lição: “Se o preconceito é uma doença, a informação é a cura.”