Por: Tita Pretti | 3 anos atrás

Você com certeza já comeu algum salgado ou doce da Confeitaria Ponto Doce da Melânia…seja no antigo ponto da Bernardo Dornbusch, no ponto da Rua Guilherme Weege ou por encomendas para festas…

IMG-20150304-WA0007

Quem nunca? 🙂

Mas, afinal, quem é a Dona Melânia?

Pra quem não conhece a mulher por trás da história de sucesso da confeitaria jaraguaense, permita-me começar com um trocadilho: Dona Melânia é, literalmente, um doce de pessoa. De fala suave, cada palavra parece revelar todo amor que deposita em seu trabalho, há mais de 40 anos.

Dona Melania, Jaraguá do Sul

Apresentamos D. Melânia Bublitz Barg

Nascida em Blumenau em 1944, Melânia Bublitz Barg chegou a Massaranduba aos 10 anos de idade, após a morte de seu jovem pai Valter Bublitz. Sua mãe, Irma Lange, decidiu se mudar para ficar mais perto da família. Naquela época, a indústria de Jaraguá do Sul já despontava e, atraída pelas oportunidades de emprego, Irma decidiu ficar de vez na cidade.

Como construiu muitas amizades, Melânia viu a profissão surgir naturalmente. Tudo começou quando ela fez um bolo de massa folhada com morangos para o aniversário de 3 anos do filho Sandro. “Era o bolo mais difícil de fazer pra quem começa. Mas os vizinhos gostaram tanto que logo as encomendas começaram a aparecer”, conta.

Quem pensa que a estrada foi fácil se engana: Melânia tocava o negócio enquanto cuidava da criação de cinco filhos. Casada com o motorista de táxi Lindolfo Barg (falecido em 2003), ela ainda se dedicou por cerca de 10 anos cuidando do marido, que  sofreu um AVC nos anos 90.

“O comércio de doces e salgados não era fácil, mas meti a cara e coragem, trabalhei com capricho e simpatia pelas pessoas, superei as dificuldades e deu resultado.”

Todos os salgados e doces da confeitaria Ponto Doce foram adaptados pela própria Melânia. Quando testava receitas de revistas, ela sempre buscava ajustar os ingredientes para deixar os produtos com mais qualidade. A famosa torta de frango com catupiry (quem não provou essa ainda, precisa conhecer: é dos deuses!!!), por exemplo, foi uma invenção dela mesma.

10418514_915382655145313_8973952075836850908_n

Essa belezura da torta de frango com catupiry foi criação da Dona Melânia!

Inaugurado em 1994, o ponto da Bernardo Dornbusch fechou em novembro do ano passado, por falta de estacionamento no local. Hoje, os doces e salgados são vendidos na Guilherme Weege, mas a novidade é que uma nova confeitaria está para ser aberta, em breve, no prédio da Rádio Jaraguá AM.

Mesmo aposentada há dez anos, ela nunca ficou longe do negócio. Hoje, ela passa a maior parte do tempo em casa, por não conseguir mais andar após a colocação de uma prótese no joelho. Seus filhos Sandro, Cátia e Tiara tocam a confeitaria, mas sempre que pode, Melânia aparece por lá para prestigiar seus clientes, que viraram amigos ao longo dos anos.

“Tenho muitas saudades de trabalhar e minha maior alegria é ir ao Ponto Doce. Meus clientes fazem parte da minha história, pois foram muitas encomendas para casamentos, batismos, aniversários de famílias. E é muito gratificante saber que também fiz parte da história dessas pessoas”, afirma.

E para quem não a conhece, a curiosidade é grande. “Na semana passada, um menino de 7 anos pediu para me conhecer, porque ele queria saber quem tinha criado o bolo de aniversário dele. Esses encontros são sempre muito lindos”, conta.

Hoje, seu maior sonho é voltar a andar sem a ajuda de andador ou cadeira de rodas e, como ela mesma afirma, sua fé em Deus é tão grande que ela acredita que vai realizar esse sonho.

Chegando a data do Dia Internacional da Mulher, Dona Melânia é daqueles exemplos de guerreiras que encontramos na vida. Mãe, filha dedicada (mora pertinho da mãe, hoje com 91 anos, e estão sempre juntas) e empreendedora em tempo integral. Aproveitando o ensejo da data, ela dá um recado:

“Mulheres, nunca deixem de trabalhar e acreditar nos seus sonhos. Não é fácil, mas tenho certeza que todas vocês serão muito felizes. Um beijo carinhoso para todas!”

É ou não é um doce de pessoa? 🙂


Esta é a primeira reportagem da nova série que vamos apresentar aqui no Por Acaso, “Quem são esses jaraguaenses?”, que sempre vai trazer uma personalidade da nossa cidade, e a história dessas pessoas que às vezes não conhecemos, mas tem uma bela história para contar.