Por: Ricardo Daniel Treis | 6 anos atrás

Pontos-de-venda caracterizados precocemente, o que era decorativo tornou-se opressivo.

Faltam 40 dias, e vendem como se a Páscoa fosse semana que vem. O supermercado empurra o nosso tempo para abril com um produto que precisa ser comprado no máximo com três dias de antecedência.

Dá uma folga, pô. Ainda ontem era Natal.