Por: João Marcos | 17/09/2012

Vi essa lá no Update or Die e achei no mínimo interessante. Vendo tão descarada impunidade e descaso do maior julgamento da história do nosso país rolando – mensalão – se você acha que indiciar os culpados por estuprarem os bancos e bolsos de todos os brasileiros, está dando trabalho aos nossos juízes, olha só o que está acontecendo com o garoto Cristian Fernandez, de Jacksonville na Florida – o mais jovem réu tratado como adulto por lá na história do país.

Quando tinha apenas dois anos, Fernandez foi encontrado nu e sujo, caminhando pelas ruas do Sul da Florida. Naquela época sua avó, uma viciada em cocaína era sua guardiã. A mãe, de apenas 14 anos, estava desaparecida.

Sua vida foi pontuada pela violência, desde a concepção, quando o pai foi condenado por violentar sua mãe. Ele próprio foi violentado por um primo e seguidamente espancado por um padrasto que cometeu suicídio ao ser preso.

Agora, aos 13 anos, Fernandez enfrenta os tribunais por dois crimes hediondos. O primeiro é o assassinato de seu meio-irmão de dois anos de idade, que ocorreu como consequência dos ferimentos por uma briga em casa quando estavam os dois sozinhos. Vale lembrar que a mãe também está sendo acusada pois demorou cerca de 9 horas para levar o filho ferido ao hospital, num processo onde o próprio Cristian terá que testemunhar contra sua mãe. O segundo crime do qual é acusado é do abuso sexual de seu meio-irmão de cinco anos.

Prisão perpétua? Ou é possível sua reabilitação? Esse que está sendo apontado como um dos casos mais difíceis da história jurídica dos EUA, apesar de mórbido, vale a pena ser acompanhado.