Por: João Marcos | 7 anos atrás

É, não sei quanto a vocês, mas pelo menos eu quando assisti o filme “Sempre ao seu lado” não sai nem um pouco feliz de dentro da sala do cinema, muito menos soltei fogos de artifício ao ver o final de “Menina de Ouromazok. Pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio (EUA) dizem que ver filmes tristes deixa a gente mais feliz, sim — supostamente, porque as tragédias da ficção nos fazem pensar em quem amamos, e aí você pensa “que sorte eu tenho de ter essas pessoas na minha vida” ou “isso sim é ter azar, minha vida ta linda”.

361 voluntários assistiram a um trecho de Atonement (Desejo e Reparação em português), de 2007 — um filme que, digamos, não termina bem do jeito que a gente queria. Antes, durante e depois do filme, os participantes tiveram que registrar como estavam se sentindo. Ao final da sessão, mais uma tarefa: escrever um pouco sobre o que quisessem.

Segundo a líder do estudo, Silvia Knobloch-Westerwick, as pessoas que ficaram mais tristes enquanto viam o filme tendiam a escrever sobre seus relacionamentos da vida real — o que aumentava a sensação de felicidade. “As pessoas parecem usar as tragédias ficcionais para refletir sobre a importância de seus próprios relacionamentos, e ficam gratas”, diz.

Se você estiver afim de fazer um teste, da uma olhada nesse trecho do filme “The Champ” de 1979, considerado a cena mais triste da história do cinema, mas ja vou adiantando que essa cena é triste mesmo. Se quiser assistir é só clicar na imagem: