Por: Gabriela Bubniak | 06/07/2016

POST PUBLICADO ORIGINALMENTE NO DIA 16 DE JUNHO DE 2016.

Que são 35 os condutores da tocha olímpica aqui em Jaraguá do Sul, a gente já sabe, mas quem são essas pessoas que vão participar do trajeto aqui na cidade? Parece que essa lista oficial não existe, mas nós fomos atrás dos nomes (pelo menos da maioria deles) para conhecê-los.

A tocha vai estar aqui em Jaraguá no próximo dia 13 de julho, uma quarta-feira. O trajeto inicia na Scar (Czerniewicz), às 9h52, e termina na Arena Jaraguá às 11h30, totalizando 7,6 quilômetros de revezamentos. Veja aqui todo o trajeto da tocha.

Segundo o coordenador local do revezamento, Alessandro Martins, a lista completa de condutores não foi disponibilizada por nenhum órgão ou empresa, nem mesmo pela organização nacional do evento. “Não sei se existe um controle por cidades, mas sabemos alguns nomes porque a informação veio até nós. Temos lista prévia e estamos tentando reunir os demais participantes”, comenta Martins.

Dos 22 condutores que encontramos, apenas um deles é de Jaraguá e vai conduzir a tocha em outra cidade e outro é de fora e vem para cá. Dá uma olhada na lista que montamos, e confira um breve perfil desses condutores que têm tudo a ver com o esporte:

– Airton Schiochet (55 anos) – Basquete

condutor_15
Conhecido por todos como professor Ito, há mais de 35 anos ele incentiva a prática do basquete em Jaraguá do Sul. Foi professor de escolas da cidade, ajudou a fundar a Associação Jaraguaense de Basquetebol (Ajab) e continua no incentivo das equipes de base. Atualmente, mais de 1,1 mil crianças, entre 6 e 14 anos, praticam o basquete em 15 escolas jaraguaenses.

– Alessandro Buozi Martins (45 anos) – Basquete

(Foto: Arquivo/Henrique Porto)

(Foto: Arquivo/Henrique Porto)

Quem hoje encontra o Alessandro na direção da Fundação Municipal de Esportes (FME) pode não acreditar, mas ele foi um dos grandes jogadores da extinta equipe adulta do basquete jaraguaense. Enquanto atleta, em 18 anos de carreira, disputou ligas nacionais e foi campeão em três Estados: São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Radicado na cidade desde 2002, ele já chegou a assumir a presidência da Fundação.

– Benhur Rosado Sperotto (68 anos) – Vôlei

condutor_12
São 56 anos de esporte, como atleta técnico supervisor e coordenador. Hoje, Benhur ocupa a função de coordenador técnico na FME. Com um vasto histórico de méritos e conquistas nacionais e internacionais, que vão desde coordenador de mérito esportivo do Estado e título emérito da Confederação Brasileira de Voleibol até campeão e vice-campeão brasileiro da Liga Nacional e campeão sul americano de clubes. Também chegou a participar das olimpíadas de 1976 e 1980.

– Cornelia Holzinger Caglioni (52 anos) – Atletismo

condutor_19
Quem recebe os incentivos ao esporte pela professora Cornélia são alunos do ensino fundamental de Jaraguá do Sul. Ela dá aulas de Educação Física no município, além de trabalhar com os projetos Evoluir, do vôlei, e do “Bola da Vez”, do basquete. Foi atleta profissional por 18 anos no atletismo e hoje trabalha contribuindo para a formação de novos atletas.

– Christiano Goulart Machado (43 anos) – Basquete

christiano 2
Mestre em Educação Física, Christiano tem uma ligação forte com o basquete. Atualmente trabalha no centro de convivência onde, entre outras Atividades, é Técnico do Grupo de Voleibol dos Idosos. Foi selecionado pela história que enviou para o site da Nissan. Apesar de ser jaraguaense e morar em Jaraguá do Sul, foi convocado para conduzir o simbolo olímpico em Massaranduba, aqui na região.

– Cristiano Amaro da Silva (35 anos) – Capoeira e exercícios físicos

Capturar
Aos 15 anos encontrou a paixão em ser a atleta. Aos 17 (1998) foi bicampeão da fronteira oeste no RS de Capoeira e 4º colocado no campeonato gaúcho. Foi convocado pela Federação Gaúcha para o 1º Campeonato Brasileiro de Capoeira, e conquistou o 5º lugar. Depois disso foram várias premiações em capoeira, natação e corrida. Hoje atua como personal, supervisor do Colégio Marista e também organiza eventos desportivos e culturais. Sente orgulho em ter sido auxiliar técnico e conquistado o vice-campeonato do Futsal e Voleibol da Olimpíada Marista, em 2013.

– Dionísio Heller (53 anos) – Karatê

condutor_16
Foi o esporte que trouxe uma nova perspectiva para a vida de Dionísio. Natural de Corupá, o administrador passou por diversos contratempos na vida, um deles foi a dificuldade para conseguir emprego para garantir o sustento da família. Treinando Karatê, ele teve a ideia de abrir a própria academia em casa e conseguiu se reestabecer. Ajudou a comunidade a conhecer o esporte e hoje continua inspirando os mais de cem alunos e também a sua família.

– Eron Waltrick (33 anos) – De todos os esportes

condutor_11
Envolvido com esportes desde a juventude, Eron foi atleta de Futsal em categorias de base. Por gostar de todas as modalidades, se formou em Educação Física para estar sempre perto do mundo esportivo. Há 11 anos  trabalha com organização de competições esportivas, e também atua na área de Promoção da Saúde e Bem Estar – mais especificamente à frente dos Jogos do Sesi. Ele foi selecionado pela Nissan.

– Francisco Alberto Gonçalves de Paula (37 anos) – Futsal

condutor_10
Os apaixonados pelo futsal jaraguaense conhecem o Chico de longa data. O ex-camisa #15 e ex-capitão da eterna equipe da Malwee/Jaraguá, fez de Jaraguá do Sul a sua casa e mora na cidade até hoje, após se aposentar como atleta. Atuou no futsal da cidade desde 1995, quando tinha 15 anos e dedicou 23 anos da sua vida ao esporte. Conquistou mais de 60 títulos vestindo a camisa jaraguaense e dividiu quadra com grandes nomes, como Falcão, Lenísio, Leco e Franklin.

– Giovani Elias Brugnago (25 anos) – Artes Marciais

condutor_09
Apaixonado por artes marciais desde 2008, o advogado Giovani é apaixonado pelo Taekwondo e Hapkido. Apesar de ter praticado futebol/futsal como goleiro, acabou abandonando os esportes na adolescência, até descobrir as artes marciais. Ele mesmo conta que foi amor à primeira vista. Hoje ele é a faixa preta tanto de Taekwondo, quanto de Hapkido. “O esporte mudou a minha vida, sinto que me tornei uma pessoa melhor. Carregar a tocha é uma honra”, conta.

– Janio Carlos Pessanha Coelho (26 anos) – Atletismo e futebol

condutor_08
Selecionado pela patrocinadora Nissan, Janio é educador físico e personal trainer. Jogou futebol até os 16 anos em clubes de base da cidade natal, Tubarão (SC). Começou a treinar corridas e fez parte da equipe de atletismo da universidade. Depois disso trabalhou como preparador físico dos clubes da cidade de Tubarão, conquistando o campeonato catarinense juvenil em 2012 e o “bi” pelo Canoinhas em 2013. Hoje ele treina e trabalha com corrida, auxiliando os alunos a obterem melhor resultado no esporte.

– Jean Carlo Leutprecht (51 anos) – Incentivo ao esporte

condutor_07
A relação com o esporte vem desde criança, quando Jean ia assistir aos jogos do Juventus com o pai. Na escola sempre gostou de praticar as mais diversas modalidades e optou por fazer faculdade de Educação Física. Se formou em 1986 e desde lá vem desempenhando ações dentro da área de esporte. Foi professor, técnico de vôlei, basquete e futsal, e hoje atua como presidente da Fundação Municipal de Esportes e Turismo (FME), de Jaraguá do Sul.

– Juliano Camacho – Ciclismo

condutor_18
Por profissão: agente de mudança. Por hobbie, amor e bem estar: pedalada/ciclismo. Há alguns anos, Juliano descobriu a bike em sua vida e começou a pedalar por prazer. E foi esse gosto pelo esporte que fez com que ele ajudasse centenas de novos ciclistas a descobrir os prazeres da bicicleta. Ele também montou um projeto para estimular o uso da bicicleta como meio de transporte e ensinar pessoas que não sabem a andar de bike, além de conscientizar a andar com segurança quem já sabe.

– Lucas Pavin (25 anos) – Jornalimo esportivo

condutor_17

Apaixonado por esportes desde pequeno, Lucas praticou tênis e futsal por muito tempo e chegou a jogar nas categorias de base do Jaraguá Futsal. Como acabou não seguindo carreira profissional como atleta decidiu cursar Jornalismo para continuar no segmento de esportes. Hoje, escrever e falar sobre esporte é o que ele mais gosta de fazer. Se formou em 2012 e pretende seguir por muito tempo

– Marli Ott (52 anos) – Judô e vôlei

condutor_06
Formada e pós graduada em Administração Pública, é funcionária pública há quase 22 anos. Foi atleta de Judô pela equipe de Pomerode no início dos anos 80, ganhou várias medalhas, sendo a mais importante de vice campeã estadual em 1981. Jogou voleibol por Pomerode e depois foi convidada para jogar por Jaraguá do Sul nos anos de 1986 a 1988, onde foi vice campeã dos JASC – Jogos Abertos de Santa Catarina em 1988, sendo a melhor colocação do voleibol feminino de Jaraguá do Sul em JASC, até hoje. O vôlei nunca deixou de fazer parte de sua vida.

– Phelipe Walmir Nunes (26 anos) – Futsal, bike, kickboxing e outros

12310062_1091380007539235_9200330968969446870_o
Apaixonado pelo esporte, o representante comercial Phelipe pratica futsal, corida de rua, montain bike, kickboxing sempre que pode. Iniciou no esporte aos 7 anos praticando Judô, depois entrou para o futebol “O Pequeno e a Bola” do professor Biro, até os 12 (campeão municipal e estadual). Nas quadras e jogou futsal durante 5 anos, conquistando os campeonatos municipal e estadual estudantil. Aos 17 iniciou no kickiboxing na equipe do Mestre Xitão e foi vice campeão catarinense em 2015. Hoje também adora praticar mountain bike.

– Rodrigo Creado dos Santos (27 anos) – Defesa pessoal

Rodrigo com a esposa Tamara Luft Heck dos Santos à espera do filho Ben, que pode chegar no dia do Revezamento

Rodrigo com a esposa Tamara Luft Heck dos Santos à espera do filho Ben, que pode chegar no dia do Revezamento

Nascido em São Paulo, se mudou para Jaraguá do Sul aos 12 anos. Desde criança tinha o sonho de ser um ninja. Identificado com a arte marcial e defesa pessoal Hap-Ki-Do hoje é professor da arte. Chegou próximo de ser um ninja, pois hoje é exemplo de garra e dedicação para os alunos. Com a esposa grávida, a data prevista para a chegada do filho é dia 14, um dia depois da condução da tocha, e o casal não esconde a ansiedade.

– Rosemary Maria Schroeder (63 anos) – Caminhada e ginástica

13002439_10201556147382818_4688502826380072071_o

Admiradora de todos os esportes, a dona Rosemary não é atleta, esportista e nem jornalista. É esposa, mãe e avó, uma pessoa dinâmica com vontade de viver. Adora fazer caminhadas e ginástica em grupo. Ela conta que, se inscreveu assim que soube do evento, pois seria uma oportunidade única pelo amor ao esporte. “Talvez nem meus tataranetos terão a chance de conduzir uma tocha olímpica. Eu me atrevi e fui uma das sorteadas”, diz.

– Silvio Roberto Ewald (50 anos) – Ciclismo

condutor_04
Foi atleta de ciclismo nos anos 80 e chegou a representar Jaraguá do Sul a ponto de se tornar um dos principais nomes do esporte no município. Foi campeão estadual por diversas vezes e foi medalhista em campeonatos brasileiros. Nos anos de 2014 e 2015 foi presidente do Conselho Municipal de Esportes e contribui para alavancar o esporte na cidade.

– Teo Gerhard Meyer (51 anos) – Tênis

condutor_03
Desde jovem o jaraguaense é um apaixonado pelo tênis. Chegou a participar de diversos campeonatos sendo, inclusive, campeão catarinense por três vezes. Contribuiu com o desenvolvimento de um projeto comunitário, para crianças carentes, como forma de divulgação do esporte. Hoje ele continua jogando em torneios da cidade e reúne mais de 60 troféus.

– Vanessa Motta Ossak (21 anos) – Apaixonada por esportes

condutor_02
Se tem uma coisa que a estudante Vanessa não abre mão é do esporte. Admiradora de todas as modalidades, ela já foi atleta de Taekwondo e praticou por pouco mais de 2 anos, mas foi obrigada a parar por conta de fortes dores no joelho e coluna. Hoje ela pratica musculação e natação. Moradora de Porto União (SC), ela participou da promoção da Coca-Cola “Isso é Ouro”, e foi selecionada para participar em Jaraguá.

– Vivian Campos Martins (35 anos) – Basquete

condutor_01
Professora de basquete das categorias masculinas de base em Jaraguá do Sul, já comandou a base do feminino. É uma grande incentivadora do esporte e reconhecida pelos alunos como uma das grandes formadoras de atletas em Jaraguá.


*Tivemos acesso a algumas histórias e perfis através do site do Revezamento Bradesco, um dos patrocinadores do evento e das Olimpíadas 2016. Além do Bradesco, a patrocinadora Nissan também teve indicados, assim como a Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul.