Por: Deivis Chiodini | 3 anos atrás

lucas

Nessa quarta (16) o UFC desembarca em New Jersey com um bom card, repleto de brasileiros. Na luta principal, dois aspirantes a contender da categoria dos leves e “papa bônus”, Donald Cerrone e Jim Miller prometem uma luta movimentada e eletrizante.

No card preliminar a estreia da brasileira Claudinha Gadelha, além de Hugo Wolverine e Gleison Tibau, são nossos representantes.O evento tem transmissão ao vivo do Canal Combate a partir das 19:30.Vamos a análise do card principal:

 

Lucas Mineiro x Alex White (categoria dos penas): Após lutar nos leves e galos, finalmente Lucas Mineiro lutará na categoria que desejava, os penas. Na sua estreia terá pela frente o americano Alex White. Os dois lutadores são oriundos da luta de pé, mas Lucas demonstra mais desenvoltura, com boas trocas de base, chutes baixos e ganchos potentes, enquanto White prefere o boxe, apostando em golpes retos para nocautear. No chão,  quem cair por cima terá uma vantagem, pois nenhum dos dois mostra grande desenvoltura na luta de solo.

Palpite: Lucas Mineiro tem mais experiência no UFC e controlará o ímpeto inicial de White, conseguindo um nocaute no segundo round.

 

John Lineker x Alpetin Ozkiliç (categoria dos moscas): Após perder sua sequência de quatro vitórias, o paranaense John Lineker tenta retomar a busca pelo title shot contra o turco Alpetin Ozkiliç. O brasileiro passou alguns momentos de apuros no chão na sua derrota para Bagautinov e deve evitar o bom wrestling do turco, mantendo a luta de pé. Na trocação, apesar de se defender bem Ozkilic tem limitações, e não deve ser páreo para as mãos pesadas de Lineker e suas combinações de overhands, ganchos no corpo e cruzados. Um confronto de estilos clássico.

Palpite: Lineker, defendendo as quedas e nocauteando no primeiro round.

 

Rick Story x Leonardo Macarrão (categoria dos meio médios): O paulista radicado em Balneário Camboriú, Leonardo Macarrão volta ao UFC depois de não ter sido aproveitado ao final do TUF 1. Macarrão é um striker habilidoso, com fluido jogo de contra-ataques, combinações com chutes baixos e diretos, e um clinch de muay thai que abusa das joelhadas. Mas ele terá uma pedreira, contra o veterano Rick Story. Dono de um boxe alinhado e boa movimentação, ele tem no wrestling seu carro-chefe, abusando da luta de grade, quedas e controle posicional. E é justo onde Macarrão peca: Muito plantado, ele terá dificuldades pra defender as quedas do americano e seu pouco gás tende a se esvair.

Palpite: Rick Story com seu habitual controle, levando por decisão.

 

Edson Barboza x Evan Dunham (categoria dos leves): Um striker dos mais conceituados, Edson Barboza vem de derrota para Donald Cerrone e terá o sempre duro Evan Dunham, que vem com a corda no pescoço, após duas derrotas. Barboza é dono de um muay thai de primeira linha, com chutes baixos devastadores, e combinações letais de socos (tanto no corpo quando no rosto) e chutes altos. Ele vem desenvolvendo movimentação que o permite manter o controle da distância até dar o bote e definir a luta. Dunham deverá se movimentar para tentar se manter na longa distância e tentar aproveitar o queixo não tão resistente de Barboza. O problema é que a sua mão não é tão pesada, e ele deve notar que isso não funciona, tentando as quedas, e controlar Edson com as costas no chão.

Palpite: Barboza vai controlar a distância e levar por pontos.

 

Donald “Cowboy” Cerrone x Jim Miller (categoria dos leves): Uowww! Dois dos maiores papa bônus do evento se enfrentam numa luta que novamente pode os alçar a situação de contender. São 15 bônus somados os dois lutadores e isso já faz você ter ideia de quão eletrizante essa luta pode ser. O que a faz prometer tanto também, é que são dois lutadores que tem qualidade para surpreender o seu adversário mesmo no seu ponto forte.

Jim Miller tem seu ponto alto no jogo de grappling, com um wrestling de alto nível e um jiu jitsu com grandes instintos de finalização, o que o possibilitou finalizar nomes como Charles do Bronx e Fabrício Morango. Ele deve aproveitar a deficiência de Cerrone no wrestling e tentar colocar o Cowboy de costas no chão. Mas Cerrone pode tirar uma carta da manga mesmo nessa posição, haja visto a finalização contra Evan Dunham no triângulo.

Já Cerrone tem seu poder mais concentrado no jogo de pé, onde usa e abusa das combinações, com bons jabs e cruzados e chutes que alternam corpo e cabeça, sendo letais. O nocaute sobre Adriano Martins é um dos melhores do ano, um implacável chute na cabeça levando o brasileiro ao solo rapidamente. Cerrone também costuma usar a trocação para combalir os seus adversários e finalizar no chão, como no mata leão contra Edson Barboza (esse cabe em qualquer vídeo aula). Miller também tem qualidade em pé, apostando no boxe, com um grande volume de golpes desferidos, combinações rápida, andando pra frente. A desvantagem na envergadura pode ser seu calcanhar de Aquiles e manter o Cowboy numa posição de vantagem.

Palpite: Eu espero uma guerra, uma luta a candidata a luta do ano. Mas a vantagem na envergadura e a maior imprevisibilidade de Cerrone vão fazer a diferença a seu favor, que levará a luta por nocaute no quarto round.