Por: Deivis Chiodini | 5 anos atrás

Sábado acontece na Califórnia o UFC 157, trazendo como novidade a primeira, e já como evento principal, luta feminina da história da organização.

Logicamente o UFC quer promover essa novidade, bem como colocar a “queridinha” da América, Ronda Rousey no pôster principal do evento. Mas pra isso acontecer, uma luta de duas lendas do MMA como Lyoto Machida e Dan Henderson passa a ser uma luta de 3 rounds e não mais 5. E isso meus amigos, é um erro grave. Uma luta como essa merecia main event e 5 rounds.
Mas, negócios são negócios e o UFC, como toda empresa, visa primeiro o lucro, então dá pra entender.
Falando sobre o evento em si, no card preliminar podemos destacar a estréia do campeão do último “The Ultimate Fighter” americano, Michael Chiesa e a boa luta entre os pesados Brendan Schaub, que vem de duas derrotas após ter sido considerado uma promessa, e Lavar Johnson, que vinha de duas vitórias, mas em sua última luta acabou sendo derrotado pro Stefan Struve. Essa luta poderia muito bem estar no card principal. Falando em card principal, vamos a já tradicional (santa pretensão Batman) análise das lutas do mesmo:

Josh Koscheck x Robbie Lawler (categoria meio médios): O veterano da primeira edição do Ultimate Fighter, Josh Koscheck e seu indefectível cabelo loiro cacheado estilo Biro Biro estará de volta ao octógono pra enfrentar o experiente Robbie Lawler, que vinha lutando na categoria dos médios no Strikeforce. Lawler esta descendo de categoria, buscando um recomeço, após ter apenas uma vitória nas suas últimas 4 lutas. Porém, de cara, ele vai enfrentar uma das maiores pedreiras da categoria. Koscheck vem da escola do Wrestling, além de ter as mãos pesados e um jogo de finalizações interessante. É um lutador bem completo, com boa movimentação e gás, não a toa figurando entre os melhores da categoria no UFC a anos. Lawler tem um queixo duro, porém seu trabalho no chão não é dos melhores, fazendo com que Koscheck não tenha dúvidas na hora de colocar a luta no chão. A Lawler, deve restar tentar trabalhar os chutes baixos, onde Koscheck já demonstrou dificuldades em defender, e com isso tentar alguma combinação para nocautear.
Palpite: Koscheck deve levar a luta pro solo e usar seu ground and pound pra pontuar e levar a luta por decisão.

Court McGee x Josh Neer (categoria meio médios):Ai eu me pergunto: O que essa luta faz no card principal? Dois lutadores medianos, com ambos vindos de duas derrotas. Enfim, não da pra entender mesmo.
McGee é mais jovem e tem uma boa base vinda do caratê, o que pode lhe dar uma boa superioridade em pé. Neer é experiente, tem mãos pesadas, porém costuma pecar no gás, o que pode ser fatal conta McGee. No chão, ambos se equivalem, e é para onde acredito que Neer deve tentar levar a lutar para ter alguma chance.
Palpite: McGee deve controlar a luta em pé, com seu padrão esquivo e vencer por pontos.

Urijah Faber x Ivan Menjivar (categoria galos): Uma luta entre dois top 10 da categoria dos galos é o que temos aqui. Os dois se enfrentaram em 2006 num evento no Canadá onde Menjivar acabou sendo desclassificado por um chute ilegal, decisão até hoje contestada pelo mesmo. Menjivar é um lutador muito veloz, que usa bem as combinações de chutes baixos e socos. Além disso tem um bom jogo de chão, tendo conseguido em suas duas últimas vitórias o bônus de finalização da noite. O fato é que será muito difícil conseguir finalizar Faber, que tem um primoroso jogo de chão, treinado pelo brasileiro Fábio “Pateta”. Faber é um lutador que vem do wrestling, e dificilmente é colocado de costas no chão. Como essa bagagem e seu jiu jitsu afiado, consegue muitas vezes cair por cima, e trabalha bem para pegar as costas do oponente. Além disso, é um lutador muito bom em pé, com socos em linha e boas joelhadas, o que abre espaço para sua perigosa guilhotina (estrangulamento pela frente). É uma luta que tende a ser bem movimentada, pois são lutadores que buscam finalizar suas lutas e partem pra cima.
Palpite: Faber costuma ser mais eficaz e manter o ritmo durante a luta, enquanto Menjivar tem algumas dificuldades quando pressionado. Acredito que Faber colocará pressão desde o inicio e irá conseguir um nocaute no segundo round.

Lyoto Machida x Dan Henderson (categoria meio pesados): Duas lendas do MMA. De um lado Dan Henderson, ex campeão do Pride e do Strikeforce, o homem que em 37 lutas nunca foi nocauteado. Do outro, o brasileiro Lyoto Machida, ex campeão do UFC e considerado por muitos um dos mais técnicos lutadores do MMA. Promessa de luta sensacional.
Dan Henderson, tem um currículo invejável. 29 Vitórias em 37 lutas, nunca nocauteado, com vitórias expressivas sobre nomes como Fedor, Shogun, Rich Franklin, Wanderley Silva, entre outros. Hendo (como é conhecido) tem seu jogo calcado no wrestling, modalidade que onde antes de ingressar no MMA, representou os EUA em duas olimpíadas. Além disso, sua mão direita é uma das mais potentes do MMA, com um poder de nocaute devastador. É um lutador que costuma andar pra frente no octógono, acuando seus oponentes, até conseguir colocar a luta pra baixo ou achar um espaço pra nocautear, sempre pontuando. Seu ponto fraco é a defesa dos chutes baixos e defender finalizações, quando por baixo no chão.
Lyoto Machida é o homem que trouxe o caratê a tona no MMA. Dono de um jogo de intensa movimentação, Lyoto usa muito bem dos contragolpes e do famoso jogo de “bate e sai”, abusando de sua velocidade, saindo do raio de ação do oponente. Lyoto tem uma defesa de quedas primorosa, talvez a melhor da categoria e mesmo que derrubado, sabe jogar por baixo, com um jiu jitsu, que se não é de ataque, tem boas qualidades defensivas. E ai que está a chave da luta: Hendo conseguirá encurtar a distância para golpear Lyoto ou sofrerá com a velocidade do brasileiro, que irá aproveitar os avanços do americano para contragolpear, pontuar e até quem sabe conseguir o inédito nocaute?
Palpite: Hendo é um dos meus lutadores favoritos, e um golpe dele pode acabar com essa luta. Mas acredito, que dificilmente ele conseguirá achar a distância e acertar Lyoto de forma tão eficaz. Aposto na movimentação e nas esquivas e contragolpes de Lyoto, que leva por pontos após uma grande luta.

Ronda Rousey x Liz Carmouche (cinturão categoria galos feminina): A hora das mulheres no octógono chegou. A queridinha do público americano e campeão no Strikeforce, Ronda Rousey vai estrear no UFC. Judoca com medalha olímpica em 2008 e campeão pan-americana , Ronda estreou em 2011 e nas 6 lutas que teve fez sempre o mesmo. Finalizou suas oponentes com um armlock (chave de braço), todas no primeiro e cinco delas com menos de um minuto de luta. Não contente, provocou, disse que é imbatível, criou polêmicas com celebridades. Enfim, além de lutar, alavancou o show e vendeu muito. Ela enfrentará uma ex militar, Liz Carmouche, que diriamos, é, bem, ahn….esta entrando lá pra apanhar. Seu currículo não é nem próximo de uma postulante ao título e sua vitória seria a maior zebra de muito tempo. O show esta armado e o UFC e Ronda estão lá pra dar ao público americano, mais do mesmo que eles tanto gostam.
Palpite: Ronda Rousey com um armlock no primeiro round

Por Deivis Chiodini