Por: Deivis Chiodini | 6 anos atrás

Neste sábado o UFC volta ao Canadá, numa noite com diversas lutas importantes pela categoria dos meio médios, inclusive a disputa do cinturão entre o ídolo local e campeão do UFC desde 2008 George St-Pierre (daqui pra frente chamado no texto apenas de GSP) e o sempre polêmico Nick Diaz. GSP é um ídolo tão importante no Canadá que o UFC faz a sua 4° luta seguida por lá, garantindo casa cheia no evento. Além disso teremos outras lutas importantes envolvendo tops da categoria.
No card preliminar, nada de muito significativo…aproveite pra jantar, dar uma dormida e se preparar pro card principal…se algo de bom acontecer, veja depois.

Vamos a análise do card principal do evento:

Mike Ricci x Colin Fletcher (categoria leves): Os 2 derrotados nas finais dos últimos “The Ultimate Fighter” se enfrentam, buscando reabilitação e se firmar no evento. MIke Ricci (vice campeão do TUF 16) terá a vantagem de lutar em casa contra o inglês Colin Fletcher (vice campeão do TUF Inglaterra x Austrália). Ricci é um lutador que costuma golpear bastante, usando seu kickboxing e terá de fazer isso pra manter a luta de pé, já que no chão, o ex motorista de ônibus Fletcher apresenta uma boa vantagem, com bom número de finalizações, geralmente aplicando estrangulamentos. Fletcher é um pouco mais alto e com maior envergadura, o que fará com que Ricci tenha q se aproximar pra golpear e essa será a oportunidade de Fletcher derrubar e trazer a luta para sua especialidade.
Palpite: Colin Fletcher por finalização no segundo round

Chris Camozzi x Nick Ring (Categoria médios): Chris Camozzi vem de 3 vitórias consecutivas no octógono mais famoso do mundo e pretende continuar a subir na categoria dos médios e pra isso terá que vencer o experiente Nick Ring. Nick é um lutador que tem as mãos afiadas e costuma bater forte e Camozzi também é um bom trocador, com uma boa base no muay thai. Caso os 2 aceitem a trocação, teremos um combate bem movimentado, onde um golpe bem encaixado poderá definir a luta. Dificilmente veremos essa luta ir pro chão e eu aposto num bom combate.
Palpite: Chris Camozzi por decisão dos juízes.

Jake Ellenberger x Nate Marquardt (categoria meio médios): Aqui o bicho começa a pegar de verdade. Jake Ellenberger é o 6° colocado no ranking oficial da categoria no UFC e iria enfrentar Johnny Hendricks (número 1 do ranking), porém Hendricks foi realocado pro co-main event da noite, devido a lesão de Rory McDonald e com isso ele enfrentará o ex campeão do Strikeforce e do Pancrase, Nate Marquardt. Ellenberger é um lutador que costuma buscar a luta, e mesmo sendo um ótimo wrestler, dificilmente amarra a luta por baixo, procurando mesmo nessa situação o nocaute. Nate é um dos lutadores mais irregulares, capaz de performances brilhantes em um evento e outras completamente apáticas, como visto na luta em que perdeu o cinturão do Strikeforce para Tarec Saffiedine. Nate tem as mãos pesadas e apesar de ser um faixa preta de jiu jitsu, tentará a todo custo manter a luta de pé. Ellenberger deverá tentar em pé, explorar a deficiência de seu adversário em defender os chutes nas pernas e com isso minar a resistência de Nate. Luta que deve ser dura.
Palpite: Jake Ellenberger vence por decisão dos juízes.

Carlos Condit x Johnny Hendricks (categoria meio médios): O barbudo Johnny Hendricks vem enfileirando todos na categoria nas últimas 5 lutas, com suas mãos pesadas. Jon Fitch, Josh Koscheck e Martin Kampmann estão entre as suas últimas vitimas. Hendricks é o 1° do ranking hoje e todos esperavam que ele estivesse na luta principal contra GSP, porém o mesmo pediu para enfrentar o desafeto Nick Diaz. Hendricks protestou, mas sabe que uma vitória sobre o ex campeão interino e número 2 do ranking, não dará ao UFC e a GSP outa escolha a não ser a luta pelo cinturão. Condit, que vem justo da derrota para GSP,numa luta muito dura, onde conseguiu golpear e machucar bastante o campeão, também sabe que uma vitória expressiva sobre Hendricks pode lhe abrir o caminho para a revanche.
Hendricks é um wrestler do mais alto gabarito, porém ele vem constantemente trabalhando o seu boxe, usando muito golpes em linha, até achar o espaço pra entrar com seu direto de esquerda, que é mortal. Ele costuma sufocar seus adversários, fazendo-os andar pra trás no octógono e deverá fazer isso contra Condit, que tem um padrão de jogo mais esquivo, com jabs e chutes fintando combinações até achar o momento certo de atacar. Condit gosta também de usar bem seus joelhos e caso consiga derrubar Hendricks (tarefa dura), poderá usar o seu bom jiu jitsu para manter Hendricks no chão, por baixo, onde ele nunca foi realmente testado.
Palpite: Hendricks merecia a chance de disputar o cinturão e o UFC não o deu. E sinceramente acho que ela vai ficar mais distante, pois pra mim Condit vence por finalização no terceiro round.

George St-Pierre x Nick Diaz (cinturão categoria meio médios): Dois caras que se odeiam vão ficar frente a frente no octógono.Essa luta já deveria ter acontecido no UFC 137, mas Nick Diaz foi cortado por Dana White por faltar a compromissos promocionais. Diaz, ex campeão do Strikeforce, já disse publicamente que odeia GSP, que o acha chato e falso e GSP, geralmente tranquilo, entrou na onda e diz que quer dizimar Diaz, inclusive o provocando por suas suspensões por uso de maconha. Seria interessante ver GSP terminar uma de suas lutas antes do 5° round novamente, o que só aconteceu uma vez nas suas 7 defesas de cinturão e foi em janeiro de 2009. De GSP, todos sabem o que esperar. Um lutador com um físico privilegiado, que não cansa nunca, habilidoso em pé, extremamente tático, que trocará o necessário para dar a entender ao seu adversário que irá ficar com a luta em pé e de repente…bum, GSP por cima no chão, trabalhando seu ground and pound. Contra Diaz, essa estratégia corre um risco maior, pois ele cairá na guarda de um dos mais agressivos faixas pretas do MMA, um lutador que gosta de lutar mesmo por baixo, conseguindo muitas vezes raspar(sair da posição de costas no chão, invertendo e colocando o adversário nela) o oponente e ir direto para as chaves de braço. Em pé, mesmo tendo um bom boxe, não acredito que Diaz seja páreo para GSP, que é muito mais veloz e atlético.
Palpite: Eu adoraria ver GSP perder ou ao menos em apuros. Mas não acredito que será dessa vez. GSP, após bater muito no ground and pound, por nocaute técnico no 4° round

Por Deivis Chiodini