Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás

Concurso-Jaraguá-do-Sul-2013

Cada povo, região, turma tem suas características, peculiaridades, que os diferenciam dos demais. Dentro do Brasil, Cada região é diferente da outra, cada estado é único e cada cidade apresenta traços que as identificam. Em Jaraguá do Sul não podia ser diferente. Mesmo que certas coisas outras cidades catarinenses possam falar, ou fazer, em Jaraguá é mais marcante.

“Meu Pau”
Taí uma expressão típica dos jovens jaraguaenses e muito pouco ouvida em outra cidade. A expressão é utilizada para pontuar frases exclamativas e, embora possa causar estranheza “para quem é de fora”, ouvir isso da boca de uma garota, por exemplo, é comum em Jaraguá.

“Caro (carro), Caroça (carroça), Moro (morro) e Geladerra (geladeira)…”
Ok, essas não são todos os jaraguaenses que falam, mas aqueles de origem alemã dão umas derrapadas nos dígrafos e, muitas vezes sem perceber. Confundir-se com os dulplos “R” é coisa comum entre os “alemón”. Na realidade trata-se de uma formatação fonética onde, no idioma original em alemão se usa o “R” dessa forma “rammstein” é não “rrramstein”. Da mesma forma que um filho de chinês, por exemplo, terá dificuldade em falar “frango” e pronunciará “flango”.

“De Varde”
Ficar de bobeira, sem fazer nada, ficar ocioso, sem ter o que fazer… Alguns falam que a expressão se originou de outra, “Debalde”, que segundo o dicionário informal significa “À toa”, “Em vão”

“Viu?”
Expressão utilizada para pontuar frases. Indica ao interlocutor um tipo de “tá ligado?” ou “ouviu o que eu disse?”

“Fui” ou “pfui”
Interjeição em alemão de nojo, asco, aversão… Jaraguaenses de todas as idades utilizam muito e ainda incluem, às vezes, um “que nojo!”logo após a expressão, só pra deixar claro.

“Tifa”
“Tiefe” na grafia original em alemão. Designa “buraco”, “profundo”… Aqui em Jaraguá do Sul dá -se um sentido de “lugar longe”.

“Uma Feiz”
Por conta do sotaque influenciado pela língua alemã, essa expressão tem um significado afirmativo, tipo, “fiz uma vez!”… Ou você nunca ouviu a frase: “carpimos o quintal, uma feiz”

“Penal”
Não, a palavra no contexto dos jaraguaenses não se refere só a códigos ou direitos, mas também para designar estojo de lápis e canetas. Sim, isso mesmo. Desconheço a origem, talvez remonte aos tempos em que se escrevia com penas, mas muitos jaraguaenses chamam “estojo” de “penal”.

E você? Conhece alguma outra palavra ou expressão típica jaraguaense? Deixe nos comentários!

Veja também nosso Top 5 – Lugares que você não pode deixar de ir em Jaraguá do Sul

Post original Por Acaso
Colaboração Márcio Martins