Por: Gabriela Bubniak | 10/03/2017

O presidente Michel Temer sancionou nesta quinta-feira (9) a lei que confere a Blumenau o título de “Capital Nacional da Cerveja”, em cerimônia no Palácio do Planalto.

O projeto de lei para conceder a honraria a Blumenau foi proposto pelo deputado federal Décio Lima (PT-SC) em março de 2014. A tramitação no Congresso Nacional terminou em 16 de fevereiro com a aprovação do texto pelo plenário do Senado e, desde então, aguardava a sanção presidencial. Lima foi prefeito de Blumenau de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004.


Leia também:
Festival Brasileiro da Cerveja: veja a programação completa desta edição
Cervejarias de Jaraguá do Sul são premiadas no Concurso Brasileiro da Cerveja

Em breve discurso na cerimônia, Temer falou que nunca teve a “alegria” de ir ao Oktoberfest, mas pretende fazê-lo para tomar “umas três canecas” de cerveja. Para Temer, a bebida é ainda um fenômeno agregador de pessoas.

O evento foi somente para convidados no Palácio do Planalto e contou com a presença, além de Temer, de políticos de Santa Catarina e as chamadas “rainhas e princesas” da Oktoberfest, que foram com roupas alemãs tradicionais.

foto-1444247656

Foto: Divulgação

Blumenau foi colonizada majoritariamente por imigrantes alemães que instalaram na região diversas fábricas de cerveja. Todo ano no mês de outubro, por exemplo, é promovido na cidade a Oktoberfest, festa voltada à bebida, como acontece há mais de 180 anos na Alemanha.

A cidade conta ainda com o Festival da Cerveja, cuja edição deste ano começou na quarta (8), o Museu da Cerveja, e a Escola Superior de Cerveja e Malte.

O presidente ainda ressaltou a importância da indústria cervejeira da região e falou que o título estimulará a geração de empregos e o turismo, ainda mais agora que a economia brasileira começa a “respirar”. “Temos os primeiros sintomas dessa respiração com a inflação caindo sensivelmente, com os juros caindo sensivelmente, com a retomada, ainda que lenta, da economia”, acrescentou.

Assista ao vídeo com assinatura da lei e a fala do presidente:

Fonte: G1
Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo