Por: Anderson Kreutzfeldt | 5 anos atrás

Todo domingo alguém e tomado pelo tédio. Mas esse domingo tem UFC direto de Natal/RN, com main event de primeira qualidade, com dois monstros repetindo a luta que é considerada uma das 5 melhores do MMA. Também resolvi dar uma enxugada na coluna e vou escrever agora só sobre as grandes lutas, de maneira mais completa, deixando apenas palpites e dicas sobre as demais. Confira

Maurício “Shogun” Rua x Dan “Hendo” Henderson (categoria dos meio pesados): Antes de mais nada, se você não viu a primeira luta entre os 2, vá ver agora mesmo. Insana, simplesmente uma das 5 melhores lutas da história do MMA, com tudo de épico que pode acontecer. Ah, se os juízes não julgassem como boxe, a luta teria sido empate, pois Shogun passou o último round montado e isso valia sim um 10-8…Mas enfim, os 2 vão estar no cage domingo novamente e a promessa é de mais uma luta da noite. Esses 2 caras tem em seu currículo cinturões de peso (Shogun foi campeão do UFC e do GP do Pride, enquanto Hendo venceu em duas categorias no Pride e no Strikeforce) e nocautes impressionantes sobre lendas. Para você ter ideia do poder de nocaute, Shogun já nocauteou Machida, Liddell, Overeem, Rampage e Griffin, enquanto Hendo já mandou a lona Wanderlei, Bisping, Babalu e Fedor (!). Por ai já da pra sentir a mão das crianças.
Os 2 já não estão mais no auge da carreira, mas isso não é empecilho. Hendo vem de de 3 derrotas, onde foi amarrado por Machida e Evans e nocauteado impiedosamente por Belfort, no primeiro nocaute sofrido na carreira. Já Shogun esta instável e após perder para Gustafsson e Sonnen numa besteira, voltou bem e nocauteou rapidamente Te-Huna.
A chave nessa luta pode ser o gás, algo que nunca foi muito bom na carreira dos 2 e com a idade avançando pode se tornar crítico. Hendo teve seu último grande momento justo contra Shogun, onde enquanto teve gás, conseguiu encurtar a distância, golpear e colocar Shogun contra grade. Dono de um overhand de direita poderoso, a famosa “H-Bomb”, ele tem jogado mais plantado ultimamente e procurando menos a queda, trabalhando apenas jabs e preparando para qualquer momento a direita. Uma estratégia um quanto limitada, mas que se der certo pode acabar com a luta em um golpe. Shogun que vem sofrendo críticas por conta da má forma física, se mostrou novamente com o shape em dia e acabou rápido com Te-Huna, o que ainda deixa uma incógnita sobre seu cardio. Dono de um jogo de muay thai agressivo, ele pode controlar a distância contra Hendo com seus chutes nas pernas e no corpo, além de contragolpes eficazes com uso do boxe quando Hendo encurtar. Apesar de vir de uma verve naturalmente do muay thai, Shogun derruba bem e Hendo já não mostra a mesma defesa de quedas. Mesmo sendo finalizado de maneira bisonha por Sonnen e não ter muitas finalizações no seu histórico, Shogun quando por cima, tem um bom jiu jitsu, com muito giro e ataques constantes no leglock, além de conseguir muitas montadas, o que lhe permite descer a lenha nos seus oponentes. Caso Hendo tente quedar, o curitibano pode trabalhar sua boa joelhada de encontro para evitar as quedas, pois Hendo por cima também desce a marreta sem dó.
Palpite: Vejo Hendo ainda perigoso, mas já deixando seus dias de glória de lado. Acho que dessa vez Shogun esta mesmo disposto a voltar a ser o mosntro que era no Pride. Shogun vai colocar Hendo pra baixo e levar o pescoço do baixinho pra casa com um mata leão no 3° round.

Demais lutas:
Não vá ao banheiro: Fábio Maldonado por nocaute no 3° round contra Gian Villante
Hora de ir comer, falar no telefone: Noad Lahat vai vencer pro decisão Godofredo Pepey (tudo que envolver o Pepey é chato)

Cezar Mutante por finalização no 2° round contra CB Dollaway
Léo Santos por decisão contra Norman Parke
Mairbek Taisumov por decisão contra Michel Trator
Rony Jason por nocaute no 2° round contra Steven Siler
Diego Brandão por nocaute no 1° round contra Will Chope
Ronny Markes por decisão contra Thiago Marreta
Jussier Formiga por decisão contra Scott Jorgensen
Thiago Bodão por nocaute no 2° round contra Kenny Robertson
Francimar Barroso por decisão contra Hans Stringer