Por: Ricardo Daniel Treis | 8 anos atrás

Post curioso esse do Humorragia, vai aí pra matar um pouco da sexta:

ROSAS RUSSAS
Se você curte uma russa, escute bem essa pra não dar mancada na frente de uma: Nunca dê uma dúzia de rosas a uma russa. Flores devem ser dadas sempre em números ímpares, já que os pares são para funerais. Devem-se evitar as amarelas, já que elas significam infidelidade.

ARROZ MACABRO
No Japão, o número do azar não é 13 como aqui, e sim 4, por causa da sua pronúncia (shi) ser a mesma da palavra morte. Não existe quarto andar em hospitais, não se dão presentes que venham em quatro unidades e esse post só tem quatro superstições por causa dessa história.
Outra superstição japonesa é que nunca se deve espetar os hashis numa tigela de arroz. Isso só é feito em oferendas aos mortos e, à mesa, pode irritá-los.

ESPELHOS
Talvez essa seja a superstição mais popular do planeta: se você quebrar um espelho vai ter sete anos de azar. É provável que ela tenha surgido na Grécia, onde o reflexo rompido era sinônimo de morte iminente. Em Roma surgiu a idéia dos sete anos. E na Idade média, os ricos amedrontavam os serviçais que limpavam os espelhos com a superstição, um produto caríssimo na época, para que assim tomassem mais cuidado com as peças.

SEXTA-FEIRA 13
O que eu achava mais estranha nessa data ser o dia do azar era minha curiosidade em saber por que tinha que ser justamente ela. Não podia ser quinta-feira 12? Ou sábado 14? A explicação que encontrei é que essa superstição existe por causa do Cristianismo. Na Última Ceia haviam 13 pessoas à mesa e duas delas morreram logo depois. Também se acredita que Jesus foi crucificado numa sexta-feira e outros indícios pouco confiáveis.