Por: Gabriela Bubniak | 8 meses atrás

A gente pode até ter uma ideia do que existe fora da órbita da Terra, mas será que o espaço tem algum som? Eu sempre imaginei que por lá é tudo muito silencioso e nada acontece, além das explosões das estrelas e tudo mais. Mas não é bem assim! Pelo menos não nas proximidades do planeta Júpiter.

A Nasa divulgou, na última semana, sons que teriam sido registrados em Júpiter pela sonda Juno, enviada ao planeta Júpiter em 2016. A ideia era que a máquina coletasse a maior quantidade de dados possível, a fim de que entendêssemos melhor nosso vizinho colossal.


Leia também:
1980: o ano em que o Brasil parou para esperar pelos extraterrestres de Júpiter

Os resultados iniciais incluem a revelação de que o campo magnético de Júpiter é quase o dobro do esperado, e que enormes ciclones entram em erupção perto dos polos do planeta.

Pois bem, em meio a fotos e compreensões sobre os tornados jupiterianos, havia um áudio. O robozinho gravou os sons do planetão e você pode ouvir abaixo:

Para sermos mais precisos, o som que você está ouvindo é relativo à ionosfera do planeta (região acima da atmosfera). São ondas plasmáticas, ou seja, os sons aparecem conforme os elétrons se movimentam pelos gases de Júpiter.

A Nasa também facilitou para nossa audição. Os sons originais foram emitidos em uma frequência de 150 kHz (acima da frequência perceptível aos humanos, portanto, inaudível pra gente). A agência espacial, então, diminuiu a velocidade da gravação para que pudéssemos apreciá-la. Seria este o Jupiter Greatest Hits 2017? (-zoa).

Na foto de capa, mostra uma visão colorida aumentada do polo sul de Júpiter, criada por Gabriel Fiset, usando dados da sonda espacial Juno da NASA.

Fontes: Hypescience e Superinteressante