Por: Ricardo Daniel Treis | 3 anos atrás

Seguindo em apoio à campanha lançada recentemente junto à Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul, o 14º BPM publicou na última semana uma nova peça, o hotsite intitulado “Somos atentos“. Nele, é convocado o apoio da população para marcar sua passagem pela página, junto a vídeo que “faz o teste”, mostrando algumas cenas de acidentes e flagrantes acontecidos na região. Em comum entre eles, um elemento: a falta de atenção dos condutores.

Segundo dados do 14º Batalhão da Polícia Militar de Jaraguá do Sul, a maioria dos acidentes de trânsito no município ocorre por falta de atenção, sendo esta a causa de mais de 2,7 mil ocorrências por ano, em média, no período de 2012 a 2014. Essa tendência pode se confirmar também em 2015, pois até o fim do primeiro semestre já foram registrados mais de 1,3 mil acidentes por esse motivo.

Neste sentido, os organizadores da campanha apontam que um dos fatores mais comuns de desatenção tem sido o uso do celular ao volante, um mau hábito incorporado pela maioria dos motoristas e que, segundo estudos, aumenta em 400% o risco de acidentes. Mas, mesmo sendo proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e considerada infração média, com o motorista sujeito à multa de R$ 85,13 e a receber quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação), esta é uma das principais causas de acidentes graves, pois normalmente está associada a outras infrações como exesso de velocidade, por exemplo.

REDUÇÃO NO NÚMERO DE MORTES
Para os coordenadores da campanha, ações como esta de conscientização, aliadas a outras iniciativas como a manutenção e melhoria das sinalizações das vias, além de atividades de educação para o trânsito, são necessárias para buscar a constante redução de acidentes e mortes. Em Jaraguá do Sul, o número de óbitos por acidentes de transporte vem diminuindo aos poucos nos últimos anos, conforme dados oficiais do Sistema de Informação de Mortalidade, do Ministério da Saúde: em 2012 foram 64 vítimas fatais, baixando para 57 em 2013, reduzindo para 50 em 2014; e até o fim do primeiro semestre deste ano houve 20 mortes. Estes registros consideram os óbitos ocorridos no local do acidente, nos hospitais e em casa.

tabela_aurea