Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Para mim, a ‘ilusão’ da audiência é: Por que as pessoas mandam tweets? Qual o sentido em perder tempo fazendo isto? Eu penso que é devido elas acharem que há gente lhes dando atenção, então fazem tudo para a continuarem recebendo. A razão para o Twitter funcionar tão bem é porque as pessoas não tem um feedback contínuo que lhes permite perceber quão pouca atenção estão recebendo. Não estou dizendo que esse sistema foi feito assim deliberadamente, mas é um sistema bem feito. As pessoas podem enganar a sí próprias acreditando que os outros as estão ouvindo, o que não é tão fácil na vida real. Quando você fala com outras pessoas na rua e ninguém lhe dá atenção, depois de um tempo você para de falar. Isso não acontece no Twitter.

As palavras acima são de Andreas Weingend, ex-cientista chefe da Amazon. O cara é um monstro tratando-se de Internet, mas não dá pra concordar inteiramente com ele. A perspectiva é caricata a um perfil da audiência do Twitter cada vez mais ignorado enquanto este amadurece: o das pessoas anônimas que tratam de banalidades. Realmente, de nada agrega ler sobre o banho que Fulano está indo tomar ou ainda escrever para todos que você não gosta de mostarda, mas é aí que entra a conclusão correta dele: as pessoas estão morrendo de carência em se expressar.

O Twitter é uma ferramenta poderosa para propagação de idéias e absorção de conteúdo. De marketing à culinária, basta focar nos canais certos para receber o que é bom – e isso não pode ser ignorado como cativante de audiência tal qual Andreas fez. Porém, apesar desse potencial todo, a rede ainda é ocupada por pessoas que preferem a expressão de sua decepção com o trânsito, da felicidade em ter um cachorro, do quanto estão gostando do dia ou odiando a fila do supermercado.

Basicamente, não há nada de errado nisso, deixa elas lá, oras. Mas como disse, essas pessoas vêm sendo cada vez mais ignoradas, e quando o canal fechar-se para esses leves desabafos, o que vai acontecer a elas depois? Aos jovens fica o conselho, psicólogo é a profissão do futuro.