Por: Ricardo Daniel Treis | 8 anos atrás

Cartinha que chegou via email do estimadíssimo Marcelo mostrando que o modelo funciona, taí uma proposta a ser aplicada.

Boa tarde.
 
Creio que ninguém mais aguenta ouvir as reclamações sobre o transito caótico em nossa Jaraguá.
Apesar da “cultura européia” na região, o comportamento nas vias públicas se assemelha ao padrão individualista norte americano.
 
Mas hoje acordei mais esperançoso quanto a este assunto. O primeiro passo, ou melhor, a “primeira pedalada” foi dada.
Parabéns aos organizadores e aos participantes do “dia mundial sem carro”!
Visto com descrédito por muitos, foi uma bela iniciativa para levarmos adiante uma idéia que funciona comprovadamente em grandes centros na Europa e na Ásia. Tenho certeza que isto é uma questão cultural que pode (e deve) ser implantada aos poucos.
Mais ciclovias e programas de carona solidária iriam com certeza ajudar na conscientização dos jaraguaenses.
 
Quem sabe seguimos adiante com “1 dia sem carro” por mês, e por que não “1 dia sem carro” por semana”?
Se pararmos para analisar, tudo conspira a favor: queremos menos transito, mais saúde, mais convívio social, mais alegria no viver.
Como foi bacana levar meu filho para o colégio ontem de bicicleta. No caminho fui explicando a ele o motivo disso tudo: “estamos ajudando a diminuir o transito na cidade” – disse a ele.
Claro que para uma idéia, ou melhor, um conceito de vida “pegar”, ele precisa ser aplicado continuamente até que ele não cause mais estranheza no dia a dia. Um exemplo disso é o “sábado legal” no comércio jaraguaense. Quem sabe um dia seremos um exemplo nacional com nossa “sexta-feira sem carro”.
 
abraço,
Marcelo Wagner.