Por: Deivis Chiodini | 15/08/2013

Altamente criticado por seu condicionamento físico nas últimas, o ex campeão dos meio pesados Mauricio “Shogun” Rua tenta uma vitória expressiva para voltar ao caminho do cinturão, provando que pode voltar a ser o fenômeno que assombrou o mundo no Pride. Ele enfrentaria Rogério “Minotouro”, mas o mais leve dos irmãos Nogueira acabou se machucando e será substituído pelo sempre polêmico (porém até agora comedido) Chael Sonnen, que já avisou que depois dessa luta retornará a divisão dos médios. Também na busca de retomar o caminho do cinturão, Alistair Overeem, após ser nocauteado pelo brasileiro Antônio “Pezão”. O ex campeão do Strikeforce enfrenta Travis Browne, que vem ascendendo na categoria dos pesados no co-main event. No card preliminar, Diego Brandão (primeiro brasileiro a vencer um TUF nos EUA) tenta sua terceira vitória entre os penas contra Daniel Pineda. Olho também na luta entres os top 10 dos galos Brad Pickett e Michael McDonald. Vamos a análise do card principal.

Joe Lauzon x Michael Johnson (categoria dos leves): Joe Lauzon no octógono é certeza de lutão! 6 prêmios de finalização da noite e 5 de melhor luta da noite, fazem com que ele seja um dos atletas mais adorados pelo público, mesmo alternando derrotas e vitórias e não estando nem no top 10 da categoria. Ele terá pela frente Michael Johnson, que está com o emprego em risco após duas derrotas seguidas. A Johnson, resta nessa luta, manter a mesma de pé. Não é uma boa estratégia derrubar Lauzon, mesmo caindo por cima, pois ele ataca constantemente da guarda, tendo como especialidade o triângulo (estrangulamento usando as pernas em volta do pescoço, mesmo estando por baixo), golpe que ele usou contra Jamie Varner. Em pé, J-Lau apresenta algumas brechas e pouco poder de punch, sendo um pouco atabalhoado em suas tentativas de joelhadas, deixando espaços para contra ataques.
Palpite: Joe Lauzon coloca pra baixo e finaliza a luta no 2° round.

Uriah Hall x John Howard (categoria dos médios): O ” Homem Ambulância” (veja o nocaute no fim do post e entenda porque do apelido) da última edição do TUF vai tentar se consolidar no maior evento de MMA do mundo, após ser derrotado na final do programa por Kevin Gastelum. Ele terá pela frente John Howard, que retorna ao UFC em casa (Boston) depois de ter sido dispensado em 2011. Dois strikers de bom nível, a tendência é que a luta aconteça de pé. Uriah tem uma vantagem de 20 cm na envergadura e isso poderá complicar a vida de Howard, pois o jamaicano costuma abusar das combinações de socos e chutes altos e rodados. Howard deve esperar um erro no jogo de pé, colocar Hall pra baixo ou em clinche e aproveitar para pontuar, tentando levar a luta por pontos.
Palpite: Hall com um chute rodado finalizando no ground and pound no 1° round

Agora, o nocaute:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/uS05kQkmbwQ” width=”640″ autohide=”1″]

Matt Brown x Mike Pyle (categoria dos meio médios): Dois nomes em ascensão na categoria se enfrentam nessa luta em que o vencedor poderá chegar ao top 10. Brown vem de 5 vitórias consecutivas. Pyle não fica muito atrás, com uma sequência de 4 saídas do octógono com o punho erguido. Os dois são bons strikers, com Brown apostando mais nas combinações usando cotovelos e golpes retos, enquanto Pyle, usa melhor as pernas, conectando boas joelhadas e chutes baixos. Na parte de chão, é onde reside a maior deficiência de Brown, que costuma expor muito o pescoço e ficar vulnerável as guilhotinas. Se ele fizer isso, estará cometendo um erro que pode ser fatal, haja visto que Pyle é um finalizador nato, com boas guilhotinas e ataques na guarda. Uma luta muito equilibrada, que pode ser a luta da noite.
Palpite: Vou de Mike Pyle por pontos em decisão dividida numa grande luta.

Urijah Faber x Yuri “Marajó” Alcantara (categoria dos galos): Que grande chance o brasileiro Yuri Marajó esta tendo. Ele não está nem entre o top 10 da categoria e enfrentará logo o número 2 do ranking, o ex campeão do WEC, Urijah “California Kid” Faber. Mas se é uma grande chance, também é um grande desafio, pois Faber é um casca grossa de primeira. Faber é um dos lutadores mais completos do UFC e sempre proporciona grandes lutas, além de ser muito carismático e contar com a torcida dos americanos. Marajó precisará estar com o cardio em dia, pois Faber é um lutador que coloca pressão e dificilmente cansa. Marajó precisa manter a luta de pé e usar a mesma estratégia que Renan Barão e José Aldo utilizaram para vencer Faber: Chutes baixos, joelhadas e golpes de encontro, além de estar com a defesa de quedas em dia. Faber é perigoso de conseguir derrubar e cair por cima, e tem um wrestling de alto nível, além de ser um finalizador nato, treinado no jiu jitsu por Fábio “Pateta”. Marajó também tem um bom jogo de chão, mas caindo por baixo pode se complicar. Em pé, tem que evitar ficar parado, virando alvo fixo as boas combinações que culminam em golpes retos de Faber, que aproveita qualquer momento que se adversário esta combalido na trocação para usar seus estrangulamentos, inclusive sua letal guilhotina.
Palpite: Gosto muito de Marajó, acho que bem treinado pode fazer um lutão com Faber. Mas o California Kid é melhor e leva essa por pontos.

Alistair Overeem x Travis Browne (categoria dos pesados): Após ser flagrado no doping, Overeem protagonizou uma luta cheio de trash talk e acabou surpreendido com um belo nocaute contra o brasileiro Antônio “Pezão” Silva. O ex campeão do Strikeforce terá pela frente Travis Browne, que também vinha numa ótima sequência até ser derrotado por Pezão, mas que se recuperou com um nocaute sobre Gabriel Napão. Overeem sempre enfrenta a suspeita de doping e toda sua falação pioram a situação, chamando a atenção para ele, e para essa luta ele parece estar mais comedido. No campo da luta em si, Browne tem um bom boxe e boa envergadura, mas terá que ter uma movimentação maior, evitando se tornar um alvo fixo no centro do cage. Ele não poderá deixar Overeem andar para frente, pois com seu kickboxing consistente, com bons chutes altos e overhands, o holandês é perigoso ao extremo. Além disso, no jogo de clinche Overeem tem boa vantagem no uso de joelhadas e cotovelos. No chão, apesar de Browne ter já conseguido uma finalização da noite no evento e Overeem não ser nenhum gênio, vantagem para o holandês, com suas constantes guilhotinas e kimuras, aproveitando de posição superior. Se a luta seguir até o final, chance de queda de rendimento, pois os 2 lutadores costumam cansar muito.
Palpite: Aposto em Overeem bem agressivo e não vejo Browne fazendo frente. “The Reem” por nocaute no 1° round.

Mauricio “Shogun” Rua x Chael Sonnen (categoria dos meio pesados): Eu vi e revi muitas lutas de Shogun, desde o tempo do Pride e uma pergunta não me sai da cabeça: Porque Shogun, você não se dedica a parte física e a evolução? Você bem treinado é o lutador mais talentoso (ao lado de Jon Jones, claro) dessa divisão duríssima dos meio pesados, Mauricio Shogun. Quem sabe não teremos uma retomada nessa sábado? Shogun terá pela frente ninguém mais ninguém menos que o polêmico Chael Sonnen. Eu particularmente adoro Chael como personagem, pois ele chega a ser quase caricato, com suas provocações descabidas. Ele vem de derrota em duas disputas de cinturão (nos médios e nos meio pesados) e promete fazer uma grande luta contra Shogun. Chael é um lutador limitado, mas muito inteligente. Sabe que sua trocação não é fenomenal e nem páreo para a do brasileiro. Seu jogo será derrubar, ficar por cima ou no clinche e cansar o brasileiro, levando a luta por pontos.Ele irá confiar na falta de cardio do curitibano e tentará uma brecha para vencer, mas caso não consiga, não se incomodará de controlar a luta e levar a mesma por pontos. Já Shogun, que já foi uma máquina de chutes, precisa retomar isso em seu jogo, mantendo Chael a distância e evitando as quedas. Mas para isso, não poderá dar chutes ao esmo, telegrafados e terá que estar com a defesa de quedas em dia. Na trocação, Shogun afiou seu boxe com o treinador de Manny Pacquiao, o lendário Freddie Roach. Ele sempre teve as mãos pesadas e com a técnica correta e boas combinações pode minar Sonnen, que já mostrou não ter o queixo muito duro. No chão, Shogun sempre mostrou bons ataques as pernas, com leglocks e isso pode fazer a diferença caso cai por baixo de Chael, que é muito suscetível a finalizações. Shogun tem que tentar acabar com a luta rápido, quanto mais ela se estender, maiores as chances do americano.
Palpite: O jogo de caça e rato. Sonnen tentará sobreviver aos 2 primeiros rounds e cozinhar a luta. Aposto num Shogun melhor preparado dessa vez, mostrando a todos que ainda esta vivo na disputa da categoria. Shogun por nocaute no 2° round