Por: Sistema Por Acaso | 3 anos atrás

20141111hoSerial-1116Amag

Eu e mais alguns milhões de pessoas pelo mundo estamos ansiosamente esperando a quinta-feira, 18 de dezembro de 2014. Nesse dia vai ao ar o último episódio da primeira temporada de “Serial”, uma série que virou febre no mundo inteiro (relembre o “Qual É a Boa?” do Alexandre Maron).

Mas com algumas peculiaridades: “Serial” é um podcast. É só áudio. Não foi produzido por um grande estúdio nem vai ao ar numa grande emissora. E a história é real. Ela está acontecendo enquanto você lê esse artigo. Provavelmente o último episódio não vai trazer conclusão alguma.

Bom, acho que chegou a hora de eu explicar do que se trata a série antes de falar do fenômeno que ela é. Lá vai:

Em um bairro pobre perto de Baltimore, nos Estados Unidos, uma menina de 18 anos, Hae Min Lee, filha de imigrantes coreanos, desaparece. Um mês depois, seu corpo é encontrado em uma cova rasa num parque distante. Em algumas semanas seu ex-namorado, Adnan Syed, um rapaz muçulmano, filho de imigrantes paquistaneses, é acusado de tê-la matado, inconformado com o término do namoro dos dois. O rapaz vai a julgamento.

A principal testemunha é um amigo seu, Jay, que diz que ele planejou tudo. Baseado principalmente no testemunho de Jay, Adnan é condenado a prisão perpétua pelo crime. Ele alega inocência.

A equipe do “This American Life” estava mesmo pensando em fazer uma espécie de documentário em série, em que cada episódio contasse uma parte de uma história. E o caso de Adnan Syed veio a calhar.

No primeiro episódio da série, que Sarah Koenig narra em primeira pessoa, ela explica que vai investigar e contar a história na medida em que vai descobrindo os acontecimentos. E que não sabe onde vai dar.

Fonte.