Por: Tita Pretti | 3 anos atrás

Pra quem não viu, ontem demos início a série “Histórias de vendedor”, publicando revelações anônimas de quem trabalha no comércio de Jaraguá do Sul.

O atendimento do comércio é sempre muito comentado pelos consumidores daqui, mas já parou pra pensar no que os profissionais da área pensam sobre nós, clientes?

Através da nossa fanpage, recebemos um depoimento de um atendente de loja (que, a apedido, vamos preservar a identidade) que vale a pena ser compartilhado pra entender o outro lado da moeda. Fica aqui a reflexão, pra repensarmos se valores como humildade, gentileza e atenção não devem sem respeitados por ambos os lados, seja por quem vende e também por quem compra.

loja

O palco de conflitos desnecessários

“Todos falam muito da qualidade do atendimento em Jaraguá, e realmente ele tem alguns problemas, já que grande parte de nossa mão de obra qualificada é absorvida pela indústria. Mas temos sim, bons profissionais no comércio, que atendem com prazer e qualidade aos seus clientes.

Mas muitos clientes em Jaraguá também têm alguns pontos negativos. Primeiro que a maior parte se coloca em um ar de superioridade em relação a quem o está atendendo. Amigo, o mundo é uma roda, e pra sua indústria vender, gerar o seu belo salário que te faz ter dinheiro para vir no meu comércio, alguém precisa comprar e esse alguém pode ser esse que está lhe atendendo, entende? Então somos todos iguais e ter um pouquinho mais de humildade é bom.

Gentileza também não é um dos pontos fortes de alguns clientes da cidade. Quantas vezes cheguei com uma belo ‘boa tarde, posso lhe ajudar’ e fui solenemente ignorado? Perdi as contas. Outra coisa é que você cliente, tem todo direito do mundo de não gostar do produto que lhe foi ofertado, ou não querer comprá-lo, mas ser rude não é necessário.

Um ponto que sempre digo é: entre na loja, prove a loja inteira se quiser, e volte mais tarde para finalizar a compra, sem problema algum, faz parte do jogo. Mas por favor, quando retornar peça pelo vendedor que lhe atendeu antes! Ele vive de comissão, e lhe deu toda atenção anteriormente! Ou você ia gostar de ficar na sua empresa até a 17h18 e alguém receber o seu dia de trabalho?

Pra fechar, elogie! Quando for bem atendido, elogie. Você, cliente, é o nosso real “patrão”. E quem não gosta de um elogio não é mesmo? Num mundo de tantas críticas, faça diferente e elogie o que é bom. Boas compras!”