Por: Gabriela Bubniak | 2 anos atrás

Os altos preços dos veículos 0 km e pagar ainda mais caro para ter um simples ar-condicionado de série são alguns dos tantos motivos que fazem muitos brasileiros optarem por seminovos e usados. Mas apesar disso é preciso checar alguns itens antes de sair da loja ou retirar o veículo com o proprietário anterior.

Verificar a validade do extintor, se o carro já foi batido, se possui pendências jurídicas e se vem com o manual do proprietário e chave reserva são algumas das precauções que devem ser tomadas. Encontramos dicas valiosíssimas no site da Revista Autoesporte, dá uma conferida e fique atento a partir de agora.

1- Quais as recomendações primordiais na hora de comprar um usado?
O diretor executivo da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Nilton Monteiro, enumera dois passos. O primeiro é optar por esse tipo de compra em uma concessionária da marca do carro pretendido. É um local que geralmente oferece alguma garantia e dados mais fidedignos do veículo. O segundo é ir acompanhado de um mecânico de confiança no momento da compra.

2- Em quais lugares é mais recomendável efetuar a compra de um usado?
Opte primeiro por uma concessionária ou loja, pois esses lugares costumam fazer um filtro do que é essencial para entregar o carro ao futuro proprietário, como saber se ele foi recuperado de um sinistro e se há bloqueios administrativos. Comprar de locadoras também pode ser bom negócio, já que a maioria adquire os carros de um único dono.

3- No momento da compra, o que deve ser checado visualmente no carro?
Deve-se verificar todos os itens de segurança desde a validade do extintor, a existência de chave de rodas, triângulo e até as condições do estepe. Assim como o nível de óleo, sua periodicidade de troca e solicitar até o histórico de manutenção do veículo, para que o futuro dono dê continuidade na conservação.

4- E o que deve ser checado em termos de mecânica?
Uma dica básica é ligar o carro em marcha lenta e verificar os níveis de ruído na cabine e de vibração do volante e da alavanca de câmbio – no caso de um modelo manual. Dê uma volta no quarteirão para checar também se há folga no pedal de freio e como o veículo se comporta quando passa em um buraco.

5- Existe algum macete para descobrir se o carro foi batido ou sofreu enchente?
Se o carro foi bem consertado é difícil perceber. Mas o que os profissionais recomendam verificar é o alinhamento de portas, capôs e porta-malas, se há irregularidade nos tons da pintura e olhar minuciosamente os parafusos, em especial das portas e tampas. Quando vêm de fábrica, os parafusos são geralmente pintados na cor da carroceria.

6- Adquirido o veículo, quais os próximos passos burocráticos?
Após comprar um veículo, é necessário fazer a comunicação de venda ao Departamento Estadual de Trânsito do município e a transferência em um prazo de até 30 dias. Caso o licenciamento não esteja pago ou existam outros débitos pendentes, é preciso quitar tudo para efetuar a transferência.

7- Como é possível verificar se as revisões anteriores foram realizadas em concessionária e se um possível recall foi atendido?
Quando for adquirir o veículo, dê preferência a modelos que venham com o manual do proprietário. É lá que vêm os carimbos das revisões feitas em uma autorizada. No caso do recall, o vendedor deve guardar a carta de convocação e o documento emitido pela autorizada de que ele foi realizado para que sejam entregues ao futuro dono.

8- Há alguma forma de verificar se há pendências jurídicas?
A forma mais usual são as consultas aos portais do Detran, da Secretaria da Fazenda , da prefeitura da cidade e também nos despachantes. Nesses endereços é possível consultar débitos do veículo por meio de CPF e/ou CNPJ.

9- Como é possível checar a autenticidade do chassi e do motor?
O Detran sugere ao comprador que entre em um acordo com o vendedor para a realização de uma vistoria. Ela é realizada por ECV’s (Empresa Credenciada de Vistorias), registradas pelo Detran e atestam a autenticidade da legalidade do motor e do chassi do veículo, além dos equipamentos obrigatórios (como pneu, extintor e espelhos retrovisores, entre outros).

10- A lei protege quem compra o carro de um vendedor particular? E de uma loja?
O veículo comprado de uma loja conta com uma garantia assegurada pelo Código de Defesa do Consumidor. O prazo é de 90 dias para reclamar de vícios em geral – e não apenas de problemas no motor e no câmbio. No caso de um vendedor particular, há a proteção do código civil, mas o trâmite é um pouco mais complicado, exigindo a contratação de um advogado e a abertura de um processo.

 

Fonte: Autoesporte
Foto: Divulgação