Por: João Marcos | 6 anos atrás

Nota publicada na Coluna Plenário d’O Correio do Povo diz:

Procurador da Prefeitura, Raphael Rocha Lopes, é claro ao afirmar que, por mais que o governo queira ajudar, não existe espaço para manobra. Repassar dinheiro público ao Juventus configuraria uma afronta à lei, não interessa se a verba viria de sobras da Câmara, como chegou a ser cogitado na segunda-feira, ou da Prefeitura. No dia 15 de fevereiro, os dirigentes do Juve já haviam procurado o Poder Público, que deixou clara essa posição. E a intenção de alguns vereadores de dar o famoso ‘jeitinho’, utilizando a Liga Jaraguaense de Futebol Amador como atravessador para o repasse não livraria ninguém de uma condenação. São dois impedimentos claros que a diretoria do Moleque Travesso já deveria ter entendido. Primeiro não é possível investir dinheiro público em esporte profissional. Segundo, o clube não está com a documentação em dia e acumula dívidas trabalhistas na Justiça.

Não há drible que resolva. Forçar politicamente a Prefeitura a repassar verba pode ser uma armadilha costurada por alguns integrantes da oposição. Parece que tem gente esperando apenas um erro da administração para atacar, ou juridicamente ou jogando a torcida contra o governo. A única maneira de salvar o Juventus, seus atletas, comissão técnica e diretoria, que estão alcançando ótimos resultados no Catarinense e já conquistaram a paixão jaraguaense, é mobilizar a iniciativa privada, conseguir novos patrocinadores e lotar o estádio a cada partida. O resto é bola fora e já está beirando a oportunismo.

Antes blindado pelo técnico Pingo, agora a situação começou a se tornar insustentável para os jogadores em campo – que sem receber salários, saem de forma amigável do clube, pois são trabalhadores e merecem todo reconhecimento e sucesso em suas carreiras. Na tarde de ontem o jogador Giso, artilheiro da equipe na competição trocou as cores do Juve pelas do Brasiliense e nessa manhã o Dedé de Jaraguá, zagueirão Peixoto também deixou o clube com proposta do Novo Hamburgo do Rio Grande do Sul.

Outros dois jogadores podem ter suas saídas anunciadas logo mais, são eles Leandrinho e Wanderson, além do técnico Pingo que teve sondagens do Avaí. Uma pena ver uma equipe tão boa e tão guerreira estar se desfazendo dessa forma, uma pena mesmo.