Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás
Anitta se submeteu recentemente a uma rinoplastia | Divulgação Rede Globo

Anitta se submeteu recentemente a uma rinoplastia | Divulgação Rede Globo

Os filtros fotográficos não são mais suficientes quando o assunto é selfie. Segundo um estudo recente feito pela Academia Americana de Plástica Facial e Cirurgia Reconstrutiva (AAFPRS em inglês), a moda dos autorretratos publicados nas redes sociais tem exercido um grande impacto na procura por cirurgia plástica facial. Sim, você leu direito!

A pesquisa foi feita com 2700 membros da Academia e questionou as últimas tendências relacionadas à procura pelas plásticas faciais. E as respostas foram surpreendentes: uma em cada três cirurgias são feitas com o intuito de deixar a pessoa mais “aceitável” nas imagens postadas nas redes sociais. Cerca de 13% dos participantes identificaram o crescimento do compartilhamento de fotos e a insatisfação com a própria imagem nas redes as maiores motivações atuais para que as pessoas busquem uma intervenção cirúrgica.

Como resultado, em 2013, foi registrado um aumento na realização de rinoplastia (10%), implante capilar (7%) e cirurgia de pálpebra (6%). “Plataformas sociais, como Instagram, Snapchat e aplicativos de self para iPhone, que se baseiam exclusivamente na divulgação de imagens, têm forçado pacientes a voltarem um microscópio contra a sua própria imagem e a se verem com um olhar mais crítico do que antes”, disse Edward Farrior, presidente da Academia. “Essas imagens são as primeiras impressões que os jovens divulgam para potenciais amigos, pretendentes e empregadores, e os nossos pacientes querem que elas retratem o melhor deles.”

A influência da mídia social é tão forte sobre a autoestima dos mais jovens, que não surpreendeu o fato de mais da metade dos participantes da pesquisa (58%) terem notado um aumento considerável na procura de procedimentos cirúrgicos e injetáveis por pessoas com menos de 30 anos de idade.

Fonte: Brasilpost.