Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Ontem era 23h53 quando lembrei do esquema. Fui pra sacada procurar algum bólido pelo céu ou chamas no horizonte, mas nada. Porém bateu uma certa angústia, porque pensei “Porra, mas e se acaba?”, então me olhei de cima a baixo.

Se o mundo tivesse acabado hoje às 00h:

– Minha última refeição teria sido um beiruth de frango com requeijão;
– Eu estaria descalço e sem camisa (se lá o que rola no after-life, mas ia chegar na área que nem índio);
– A última conversa que tive foi via Facebook;
– A última coisa feita teria sido trabalhar adiantando as edições das colunas de férias;
– Com exceção do gato de estimação, estaria sozinho;
– Estaria com uma Heineken na mão;
– Importa pra mim: tudo ia acabar com a casa limpa e arrumadinha;
– A última música que ouvi seria “16 Toneladas”, do Funk Como Le Gusta;

[youtube_sc url=”http://youtu.be/DUIVb65EsXE” width=”640″ autohide=”1″]

Por fim, fiz o review pra ver se partia de consciência tranquila, e bateu. Teria ido me sentindo realizado.

E o melhor de ter tido esse pensamento foi acordar hoje vendo que posso fazer ainda melhor, e assim espero que seja.

“Finja que terminou e comece melhor”. Bom 21 de dezembro pra todos. 😉