Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

Marcia Alberton (PSDB) se despediu da Câmara depois de ficar na cadeira por 15 dias, substituindo o correligionário Ademar Winter, que prestigiou a despedida no plenário ontem.

Atuante, Marcia conseguiu aprovação dos pares para indicação sugerindo que o Executivo crie o Instituto Schützenfest. A ideia já vem sendo ventilada há dois anos e consiste em transformar a Festa do Tiro em um evento aos moldes do Festival de Música de Santa Catarina, gerenciado pelo Instituto Femusc e não pelo poder público.

Um dos objetivos é evitar polêmicas como as registradas em 2009 e 2013, que geraram inclusive a demissão dos respectivos secretários. A de 2009 deixou dívidas com fornecedores até hoje, além de arranhar a imagem de um evento que tem o importante papel de preservar a tradição germânica, manter as sociedades de tiro em atividade e proporcionar lazer à população.

Outro benefício seria a facilidade de negociação. As licitações nem sempre garantem o melhor preço e o melhor produto, muito menos permitem a agilidade necessária para a realização de grandes eventos. Esse é um debate importante para a preservação da Schützenfest. No alvo!

Artigo por Patricia Moraes do OCP Online.