Por: Gabrielle Figueiredo | 2 anos atrás

A justiça de São Paulo determinou que o aplicativo WhatsApp fosse bloqueado por todas as operadoras de telefonia brasileiras a partir das 0h00 desta quinta-feira, dia 17 de dezembro.

Conforme matéria publicada no site Tec Tudo, o bloqueio vale para operadoras de telefone móvel e fixas. Desta maneira, o aplicativo vai ser bloqueado nos domínios WhatsApp.net e WhatsApp.com em todas as conexões com endereços de IP vinculados.

Porém, o site levantou uma possibilidade de como é possível acessar o mensageiro por meio de uma VPN, camuflando sua localização no globo e redirecionando seu tráfego por outro país. Ainda assim, é preciso que seus amigos e familiares façam o mesmo para que vocês possam conversar durante esse período.

Qual VPN usar?

Os três principais sistemas operacionais mobile contam com alternativas de VPN que podem ajudar nesta ocasião. Basta baixar os aplicativos gratuitos, configurar sua conta de usuário e pronto. Você estará navegando na rede como se estivesse acessando o conteúdo a partir de outro país.  Confira opções:

No momento, alguns softwares podem apresentar desempenho melhor ou pior dependendo de muitos fatores. Um fórum do Tec Tudo (clique aqui) usuários comentaram algumas opções de VPN e quais funcionaram para eles como, por exemplo, o Super VPN, Betternet e também o VPN Master.

Testei aqui o VPN Master, mas ele não funcionou no meu celular, que é Android, já o Betternet funcionou. Outra opção é baixar o Telegram, que é bem semelhante ao WhatsApp e funcionou aqui super bem. Link para Android aqui.

Entenda o motivo do bloqueio

Sgundo informações levantadas pelo site Consultor Jurídico, o processo que levou à decisão de bloquear o WhatsApp foi decorrente de uma investigação a respeito de um homem preso pela Polícia Civil de São Paulo em 2013. Acusado de latrocínio, tráfico de drogas e associação ao Primeiro Comando da Capital (PCC), o suspeito ficou preso preventivamente por dois anos e acabou sendo soltou em novembro deste ano pelo STF.

Durante as investigações sobre o acusado, a Justiça pediu que o Facebook, proprietário do app de mensagens, revelasse informações e dados pessoais de usuários do aplicativo relacionados ao investigado. Como a companhia se recusou a atender a esses pedidos, a 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo determinou que as operadoras de telecomunicação bloqueiem o serviço por 48 horas em todo o território nacional.

Em sua página no Facebook, Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, publicou uma mensagem que aparentemente confirma essa versão.

post mark