Por: Sistema Por Acaso | 6 anos atrás

No próximo sábado, o brasileiro Renan Barão defenderá o título interino dos galos contra Michael McDonald, em Londres, na Wembley Arena. Barão se tornou o campeão interino, já que o detentor do cinturão da categoria, o americano Dominick Cruz, se lesionou seriamente no joelho, tendo que ficar em um longo período em inatividade. Assim que Cruz retornar, teremos uma luta entre os 2, unificando o cinturão.

Como todo o evento do UFC que não é sucedido de um número (exemplo: UFC 134, UFC 156, etc..), o evento passará em teve aberta nos Estados Unidos (nesse caso mais específico, na Fuel TV). Você deve se perguntar, “que raios isso aqui no Brasil nos importa?”. Simples, como o evento acontece nos EUA em rede aberta, o UFC não arrecada os valores astronômicos do pay per view de seu maior mercado e consequentemente, coloca menos lutas com lutadores de maior expressão, que tem em seus contratos participações nos lucros das vendas das transmissões.

Bom, vamos as lutas, que é o que interessa. No card preliminar, podemos destacar a luta do brasileiro René Fortee, que enfrentará o inglês Terry Etim. René vem de uma derrota para Sérgio Moraes, e com isso, decidiu baixar para categoria dos leves, onde acredito possa mostrar melhor suas qualidades.

Abaixo uma análise das lutas do card principal:

Che Mills x Matthew Riddle (categoria meio médios): A luta que abre o card principal terá um britânico. Che Mills é um lutador que buscará a vitória desde o inicio em casa, usando de seu Muay Thai, eficiente e agressivo. No outro lado, teremos o bem mais experiente e ex participante do Ultimate Fighter, Matthew Riddle. Ele esta na organização desde 2008, porém nunca manteve um caminho regular de vitória, sendo muito inconsistente, tendo inclusive sido suspenso por 90 dias por ser flagrado com uso de maconha. Riddle é um lutador com melhor qualidade no solo, onde deve buscar a luta, usando o ground and pound para marcar pontos e ir dominando a luta. Em pé,a vantagem é toda de Mills.
Palpite: Luta apertada, sem favoritos. Porém acredito que Mills virá empolgado com o apoio da torcida e conseguirá um nocaute técnico no 3° round.

James Te-Huna x Ryan Jimmo (categoria meio pesados): Dois nomes em ascensão na categoria dos meio pesados se enfrentam, buscando um espaço melhor no ranking dessa acirrada categoria. Descendente da tribo Maori, o neo-zelandês Te-Huna esta a mais tempo no UFC e suas lutas não costumam ir para decisão dos juízes. Seu adversário, o canadense Jimmo estreou no evento em agosto do ano passado de maneira impressionante, conseguindo um nocaute com 7(!) segundos e levando para casa o bônus de nocaute da noite. Além disso, ele possui vitórias expressivas em outros eventos contra veteranos do UFC como Sokodjou, Marvin Eastman e Wilson Gouveia. Jimmo não perde desde 2007 e deve tentar cadenciar a luta, segurando o impeto de Te-Huna, que deve tentar partir para uma trocação de golpes mais francos. Essa luta dificilmente irá para o chão e também não acredito que chegará ao terceiro round.
Palpite: Acredito mais no poder de nocaute de Te-Huna e acho que ele leva por nocaute no primeiro round.

Gunnar Nelson x Jorge Santiago (categoria meio médios):Uma promessa e um veterano em busca de finalmente conseguir se firmar no evento é o que temos aqui. O islandês radicado nos EUA Gunnar Nelson esta invicto em suas 11 lutas como profissional e busca repetir o sucesso que teve em sua estréia no evento contra o veterano brasileiro Jorge Santiago, que sempre teve boas participações em eventos como o Sengoku e o Strikeforce, mas nas duas oportunidades que teve no UFC, venceu apenas uma luta e perdeu 4, sendo dispensado. Santiago é claramente um bom lutador, que não conseguiu mostrar isso dentro do octógono do maior evento e essa oportunidade não pode ser desperdiçada, pois ele dificilmente terá outra. Nelson chega com um grande hype e é tido como uma das maiores promessas na categoria. Faixa preta de Renzo Gracie, dessa vez ele não terá tarefa fácil no chão, contra um também faixa preta, porém muito mais experiente como Santiago. No chão essa luta pode se tornar imprevisível Nelson terá que provar que pode ser um atleta completo, trabalhando de pé também, contra um lutador que já mostrou que sabe fazer isso.
Palpite: Vou contrariar a lógica. Acredito que Santiago controlará Nelson de pé, evitando o chão e sua experiência vai prevalecer, com o brasileiro levando a vitória por decisão dos juízes.

Jimi Manuwa x Cyrille Diabaté (categoria meio pesados): Se na luta anterior tínhamos dois especialistas em luta de chão, aqui é exatamente ao contrário. Dois trocadores natos, numa luta que promete ser explosiva. O nigeriano Manuwa esta invicto, tendo vencido 10 das suas 11 lutas por nocaute. Na sua estréia no UFC, conseguiu um ótimo nocaute técnico, dominando facilmente o veterano Kyle Kingsbury, golpeando sem parar durante dois rounds, obrigando o médico a interromper a luta. Já o francês Diabaté já rodou por várias organizações até chegar ao UFC, sempre impulsionado pelo seu Muay Thai de alto nível. Diabaté sempre pecou no gás, tendo dificuldade em manter lutas mais longas ou quando está sendo atacado em sobreviver, e isso pode ser um fator determinante contra Manuwa, que gosta muito de abafar, não deixando distância pro seu oponente revidar.
Palpite: Gostei muito do que vi de Manuwa e acho que ele leva por nocaute no primeiro round.

Cub Swanson x Dustin Poirier (categoria penas):Dois sérios candidatos a futuros desafiantes de José Aldo se enfrentam. Cub Swanson hoje é o 6° colocado do recém lançado ranking oficial do UFC e vem de três vitórias seguidas, sendo as duas últimas resultando no bônus de nocaute da noite, inclusive sobre o brasileiro Charles “do Bronx” Oliveira, que era amplo favorito. Swanson com uma vitória sobre Poirier pode se colocar muito bem na divisão, acabando com o estigma que toda vez que enfrenta um lutador bem rankeado acaba sendo derrotado, como já aconteceu frente a Ricardo Lamas, Chad Mendes e José Aldo (esse último no antigo WEC. em que Aldo nocauteou em apenas 8 segundos, com uma joelhada dupla. Se você não viu, veja aqui, vale a pena). Poirier (que hoje é o 7° no ranking) vinha sendo cotado como um possível desafiante a José Aldo, antes de ser vencido por Chan Sung Jung, na luta que foi considerada a melhor de 2012 por muitos veículos especializados. Se recuperou bem com uma boa vitória sobre Jonathan Brookins e vencer bem Swanson pode colocá-lo muito próximo do topo da categoria. Em pé, os 2 lutadores tem um bom jogo, apesar de Swanson mostrar mais potência e capacidade de definir as lutas, com boas combinações de socos. No chão, a vantagem é de Poirier, que mostrou uma grande variedade de finalizações, o que é justamente a maior deficiência de Swanson, a defesa no chão.
Palpite: Poirier irá sofrer um pouco em pé no primeiro round, porém conseguirá a partir do segundo round, aproveitando o menor gás de Swanson, colocar a luta pro chão e conseguir uma vitória por finalização no final do terceiro round.

Renan Barão x Michael McDonald (pelo cinturão interino da categoria galos): Renan Barão vai pra sua primeira defesa de cinturão disposto a provar que merece ser alçado ao estrelato no UFC. Apesar do título, ainda não é um nome inquestionável, que conte com apelo fora da mídia especializada, mesmo aqui no Brasil. O potiguar, que vem de 30 (isso mesmo,30) vitórias seguidas em sua carreira, é produto da academia Nova União, a mesma de José Aldo, que é especialista em formar lutadores nas categorias de menor peso do MMA. Barão venceu oponentes duros até chegar ao cinturão, como Brad Pickett, Scott Jorgensen e Urijah Faber. Seu jogo é baseado numa movimentação intensa, muitos chutes nas pernas e joelhadas, minando a resistência de seus adversários. Ainda não mostrou no UFC poder de nocaute, mostrando dificuldades em finalizar as lutas com nocautes. Porém, no chão, tem um jiu jitsu afiado, conseguindo escalar bem as costas dos oponentes, tendo posições dominantes e finalizando as lutas. Já McDonald é um lutador oriundo do kickboxing, tendo assim uma trocação afiada, com bons chutes contra o corpo e socos em linha. McDonald conseguiu boas vitórias no seu caminho, como contra o ex campeão do WEC Miguel Torres, porém acho que ainda lhe faltam nomes de maiores expressão no currículo que justificasse essa disputa de cinturão.
Palpite: Acredito que Renan Barão esta hoje num nível acima de McDonald e leve essa por finalização no terceiro round.

Por Deivis Chiodini