Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Como está o quintal de vocês? Vale dar uma olhadinha procurando pontos de água parada.

A Secretaria Municipal da Saúde confirmou na sexta-feira (1º) mais um foco do mosquito da dengue. As larvas do Aedes aegypti estavam em uma armadilha (pneu cortado ao meio) instalada no bairro Água Verde e monitorada semanalmente pelo Programa Municipal de Controle de Zoonoses. Apenas neste ano, o município já registrou seis focos do mosquito, três no bairro Água Verde e três no Centro.

Os agentes de endemias estão visitando as residências e comércios do bairro para verificar possíveis novos focos da dengue e orientar os munícipes quanto à doença. No próximo sábado (9), das 8 horas ao meio dia, equipes da Secretaria da Saúde estarão nas praças do Expedicionário (terminal de ônibus) e Ângelo Piazera, distribuindo fôlderes e prestando orientações à população sobre os cuidados com a dengue.

“É importante que toda a comunidade se mobilize para eliminar os focos de água. Solicitamos que todos verifiquem em suas residências os locais que podem acumular água. Caso os focos de água parada estejam em locais como terrenos baldios, por exemplo, os munícipes podem ligar para a Ouvidoria da Prefeitura, através do telefone 0800-642-156, e registrar uma denúncia”, esclarece o secretário da Saúde, Francisco Garcia.

Neste ano, dois casos da doença foram confirmados, um importado do Acre e outro do Mato Grosso. Até o momento, nenhuma morte por dengue foi registrada em Jaraguá do Sul. Em 2010 foram registrados nove focos e cinco casos da doença, todos também importados de outros estados. “Em muitos estados a dengue está fora de controle, por isso, a vinda de pessoas infectadas com dengue de outros locais é inevitável. É importante destacar que não existe vacina contra dengue, por isso a eliminação dos focos de água parada é a principal forma de prevenção”, destaca o diretor de Vigilância em Saúde, Walter Clavera.

Principais sintomas
Febre alta (entre 39º e 40º);
Dor de cabeça;
Dores nas articulações;
Falta de apetite;
Fraqueza;
Vômitos;
Manchas na pele (podendo haver coceira); 
Náusea e diarréia.

Saiba como se proteger contra a dengue
Evite os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d’água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

O telefone do Centro de Controle de Zoonoses é (47) 3275-2939.


Via Clarissa Borba