Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Recebemos correspondência oficial em resposta à publicação feita na manhã de hoje, considerei:

Boa tarde

Me encaminharam os comentários existentes neste blog sobre os documentos que molharam na prefeitura. Gostaria de esclarecer o seguinte:

1- Não iremos destruir os documentos no fogo, como foi sugerido, pois nossa função é resguardá-los, principalmente as informações neles contidas que são de grande importância para o contribuinte. Estamos higienizando folha por folha, descolando umas das outras, enfim muito trabalho.

2- A administração pública está ciente do problema há alguns anos. na gestão passada foi discutido numa reunião de secretariado e em 2008 estes documentos foram afetados, pouco, mas foram. Nesta gestão também foi exposto o problema.

3- nenhuma providência foi tomada pela administração da prefeitura, embora o pessoal do Arquivo Histórico viesse constantemente avisando do local impróprio para tal.

4- concordo com a moça que falou dos recursos. Ficam poucos recursos aqui e para este tipo de situação nunca tem. Documentação pública, equipamentos públicos (desde computador até sala de trabalho e estante).

O Arquivo Histórico (que está num prédio alugado) vem conseguindo alguns benefícios através de leis de Incentivo (Rouanet) e recursos da Fundação Cultural, mas a documentação que está na Prefeitura, que chamamos de Intermediária (entre o corrente e o histórico) não tem o tratamento adequado, nem recursos disponíveis.

Não é simplesmente armazenar, existem normas técnicas (Leis federais) que determinam a guarda, o inventário e a forma de consulta. Além disso é proibido terceirizar a guarda de documentação pública.

O mais importante é que a população auxilie os funcionários na proposta de construção de um prédio para guarda dos documentos intermediários e históricos de nossa cidade, para não termos eventos como este se repetindo.

Silvia Kita
Historiadora responsável pelo Arquivo Histórico

Silvia, fico gratíssimo pelo esclarecimento. Quem dera toda vez que houvesse alguma publicação aqui referente peculiaridades deste município os responsáveis se manifestassem como você fez. 

E curiosa a coincidência da situação do Arquivo com as demais áreas afetadas pelas cheias: todos sabem que o local é impróprio e pretenso a catástrofe, mas não há mobilização alguma da autoridade para que a situação seja corrigida (e foi esse o motivo de meu deboche no post desta manhã).

Nosso veículo fica à disposição para futuras manifestações, há erros que não podem continuar sendo cometidos injustamente para depois só virarem estatística e valores num plano de “recuperação e prevenção”.

Outra questão, caso o Arquivo Histórico tenha conteúdo sobre a cidade para compartilhar rotineiramente com nossos leitores, fica o convite à participação. De certa forma, queremos ajudar a imortalizar digitalmente.