Por: Gabriela Bubniak | 14/09/2017

Para o alívio de todos que acompanhavam aflitos os desastres naturais pelos Estados Unidos, o furacão Irma finalmente se dissipou. Na quarta-feira (13), ele foi reduzido para uma tempestade tropical, mas seu trajeto destruidor fez dele um dos ciclones que mais tempo ficou como categoria 5 em toda a história.

Após ter se formado na costa africana, o furacão percorreu um caminho que atingiu as ilhas do Caribe e a costa da Flórida, penetrando em território norte-americano antes de morrer. Os ventos chegaram a mais de 210 km/h.

A NASA, acompanhou o percurso do furacão com seus satélites e resumiu, em um registro de 30 segundos, o trajeto de 10 dias feito pela tempestade sobre o Oceano Atlântico. Veja:

É possível ver o furacão em cores mais quentes – amarelo, laranja, vermelho e preto – girando em torno de seu olho e seguindo da direita para a esquerda no centro do vídeo.

E para mostrar os estragos causados por este fenômeno natural, nós compilamos aqui alguns dos vídeos que circularam pela internet, relembrando o trajeto do furacão Irma. Confira:

Antígua e Barbuda

Classificado como furacão de categoria 5, na ocasião, pelo NHC (sigla em inglês para Centro Nacional de Furacões), o Irma atingiu a ilha de Barbuda na quarta-feira (6) com ventos que alcançaram os 295 km/h, deixando um morto.

Casa é totalmente destruída com a passagem do furacão Irma pela ilha Barbuda. (Foto: Anika E. Kentish/AP))

Veja a força do vento na ilha:

São Bartolomeu, São Martinho e Anguilla

Na sequência, seguindo rumo ao noroeste, o furacão, com ventos de até 360 km/h, varreu as ilhas de São Bartolomeu, São Martinho e Anguilla. Ao menos treze pessoas morreram na região, que ficou devastada. A ilha de São Martinho estaria 95% destruída, segundo o governo local.

Ilhas Virgens americanas

O furacão, indo a oeste, acabou atingido as Ilhas Virgens americanas. Ao menos quatro pessoas morreram em função do Irma.

Casas ficam destruídas em Saint Thomas, nas Ilhas Virgens Americanas. (Foto: Ian Brown/AP)

Porto Rico

Na quarta-feira à noite, Porto Rico, que fica próximo às Ilhas Virgens americanas, viu o Irma chegar com ventos de cerca de 295 km/h. O furacão provocou cortes no fornecimento de energia elétrica e fortes chuvas. Ao menos duas pessoas perderam a vida.

República Dominicana e Haiti

Na mesma região, o Irma chegou à República Dominicana e ao Haiti na quinta-feira (7). Ao menos 19 mil dominicanos tiveram que deixar suas casas. Autoridades da República Dominicana também cortaram o fornecimento de eletricidade em muitas zonas de maneira preventiva.

No país vizinho, Haiti, o Irma causou inundações e deixou feridos na região nordeste. Como ele passou um pouco mais ao norte do que o previsto, o impacto no Haiti foi menor do que o esperado.

Barcos vão parar em rua após a passagem do Irma na República Dominicana.

Bahamas e Cuba

Na sexta-feira (8), o furacão seguiu a noroeste, passando entre Cuba e Bahamas. Os cubanos sentiram mais os efeitos do Irma no sábado (9), quando ele atingiu o arquipélago de Camagüey, situado no norte da Ilha, com ventos de 260 km/h. Ondas de até sete metros foram registradas e a região de Havana foi colocada em alerta.

Mais de 1 milhão de pessoas deixaram suas casas em zonas vulneráveis do país. Confira o olho do furacão captado em Cuba:

Estados Unidos

Neste domingo (10), o Irma, na categoria 4, chegou ao Sul do Estado americano da Flórida com ventos de cerca de 2015 km/h. No total, as autoridades americanas ordenaram que 6,3 milhões de pessoas deixassem as suas casas na Flórida. Mais de um milhão já haviam recebido uma ordem de evacuação obrigatória.

Veja também a reportagem do Fantástico sobre os estragos, com relatos de brasileiros na rota do furacão:

Fontes: UOL