Por: Gabriela Bubniak | 1 ano atrás

O Estado do Espírito Santo está vivendo uma verdadeira história de terror. O caos na segurança pública, provocado pela falta de policiais militares nas ruas, completou 17 dias hoje e, de acordo com informações do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol-ES), 173 homicídios foram registrados desde 4 de fevereiro.

O número está muito acima da média regular no Estado inteiro, que foi de 3,2 homicídios por dia em 2016. Só no último sábado (18), aconteceram 11 assassinatos, informa o Sindipol.

A situação está cada vez pior e mais triste. Mas o que será que os jaraguaenses pensam sobre essa situação no nosso país? Os rappers do projeto Cousin Black lançaram uma música para falar do tema e lançar a opinião deles. Ela leva o nome “Bota fé”, e a gente recomenda prestar atenção da letra pra entender a crítica dos meninos:

De acordo com o compositor Jairo Prado, esta é uma mensagem a todos nós, tanto quem está no Espirito Santo quanto aos que estão fora disso, sofrendo e se preocupando com o Brasil: violência, saques, insegurança, assaltos, entre outros. “É difícil escolher um “lado” para defender. Acreditamos que o estopim da confusão não foi uma guerra entre polícia e ladrão, mas sim, entre a Ética vs Falta de Vergonha na cara”, diz.

Em entrevista, Jairo explicou melhor o pensamento deles. Entenda:

Quando começaram a vir as primeiras notícias do que estava acontecendo, o entendimento foi outro. Não se percebeu que tudo se tratava de uma greve de policiais que estavam (e estão) rogando ao Estado por melhores condições. O foco da mídia foi referente aos criminosos que se aproveitaram da situação “facilitadora” para praticar os crimes; a culpa não é da mídia, mas de quem consome somente o que lhe interessa, é a lei da “oferta e demanda”.

O que me deixou triste e me despertou a compor foi saber que tem cidadãos que saquearam lojas apenas seguindo a onda do oportunismo. São várias opiniões sobre o assunto, e discutimos isso em rodas de amigos, até que ouvi uma frase que me fez pensar: “o povo do Espírito Santo está se aproveitando da situação para saquear os comércios…”. Fiquei pensando que não se trata do povo do Espírito Santo, mas, sim, uma parcela minúscula que está praticando isso.

É terrível generalizar e imputar o povo de uma atitude que só alguns aderiram, é injusto e preocupante sustentar estereótipos do tipo “carioca é assaltante”, “paulista é ladrão”, “nordestino é ignorante”… isso é uma lástima e falta de educação.

Contudo, a proposta da musica é levar força ao povo que está sofrendo, afirmando que é preciso ter fé e, também, conscientizar o ouvinte em não deixar estes acontecimentos caírem no esquecimento. Eles devem estar presentes em nossas mentes, para se compadecer do ser humano todos os dias, na esperança de que um dia podemos contar uns com os outros e de uma vez por todas nos tornarmos humanos.

A música “ganhou vida” em poucas horas depois que Jairo levou a ideia da letra ao Juninho Almeidda (integrante da Cousin Black), eles escolheram a melodia, fizeram os arranjos do rap e a batida que poderia encaixar com a proposta.


Leia também:
Músicos de Jaraguá do Sul criam rap sobre o Pokemon Go
Cousin Black cria música sobre as eleições 2016

Conheça a Cousin Black

A “Cousin Black” é um projeto musical que tem o objetivo de tornar acessível ao público da internet a boa música, fazendo novas versões com novos arranjos, sejam em músicas cover ou mesmo músicas autorais como a do Pokemon Go e das Eleições 2016.

14207866_1340676265944542_1228425962460569990_o

Fazem parte do projeto: Jairo Prado, Luiz Gustavo Silva, Victor Silva e Juninho Almeidda. Eles estão no YoutubeFacebook e também no Instagram, além disso estão abertos para sugestões de novas músicas e interação com todos. 😉