Por: João Marcos | 7 anos atrás

Bom provavelmente você já deve ter visto algo sobre isso, pois desde domingo é um dos assuntos mais comentados na internet e também na mídia como um todo. O rapper paulista Emicida foi detido por desacato a autoridade na noite deste domingo após um show em Belo Horizonte. Antes de cantar sua nova música, “Dedo na ferida”, Emicida comandou a plateia a levantar “o dedo do meio para a polícia que desocupa as famílias mais humildes”, fazendo menção a Ocupação Eliana Silva, também na capital mineira, de onde famílias sem-terra foram desalojadas.

Até ai tudo bem, todos os rappers tem esse cunho político social e tentam representar na música sua revolta com a sociedade e tudo mais, o problema é que alguns policiais do local ficaram cabreiros com a situação e assim que terminou o show levaram o artista para a DP, e o acusaram com o seguinte BO:

“Senhor Delegado,
Nesta data, ocorreu um evento na Av. Afonso Vaz de Melo, próximo a PUC de Barreiro, conforme ordem de serviço nº 306812/41º BPM, acordado entre o comando e organização do evento, denominado “Palco Hip Hop”, onde vários artistas gênero se apresentaram, dentre os quais destacamos a participação do presente conduzido de codinome “Emicida”, este na abertura do seu show, proferiu os seguintes dizeres: “eu apoio a invasão do terreno “Eliana Silva”, região do Barreiro, tem que invadir mesmo, levantem o dedo do meio para cima, direcione aos policiais, pois todos esses tem que se fuder. Vale a pena lembrar que o público presente estava em grande quantidade e tais declarações objetivavam insuflar o público contra os policiais militares que estavam de serviço no evento, que colocou em risco a integridade física dos policiais militares e dos envolvidos no evento. Diante do exposto, esperamos que o cantor Emicida terminasse o seu show, oportunidade em que foi dado voz de prisão ao autor pelo crime de desacato, sendo garantido seus direitos constitucionais. Conduzimos o referido a delegacia regional de Barreiro para as providências que couber o fato. Ressalto que a testemunha Evandro Roque de Oliveira irmão do autor e o senhor Elcio Pacheco o advogado do conduzido.”

Maaaas, é ai que está o grande porém da história, não sou nenhum defensor do rap, o que por sinal não é nenhum pouco o estilo musical que me agrada, só que vazou na web o vídeo do exato momento que isso aconteceu e dá uma olhada no que realmente o rapper falou:

Até quando autoridades pagas pelo dinheiro público, meu e seu, vão agir como der na telha, nunca com o regulamento real nas mãos?