Por: Anderson Kreutzfeldt | 31/07/2014

large (27)

Galera, resolvi trazer hoje um texto antigo que rendeu pano pra manga dois anos atrás. Perdoem qualquer eventual erro que possa estar aí no meio 😉

Tem gente que realmente não consegue lidar com a sua própria identidade. Um amigo meu chegou até a mim esses dias me contando que estava desiludido por conta de um amor não correspondido. Quando perguntei á ele há quanto tempo eles estavam juntos ele me disse: “Nós nunca ficamos”.

O amor não correspondido é uma das maiores ilusões da juventude. Ele não existe! Se há amor, há amor dos dois lados. Você pode dizer que ama alguém que não te ama, mas você jamais amará. Existem diversos tipos de amor: O amor de família, o amor de amigo, o amor de namorado-namorada e até mesmo o amor presente naquela transa casual.

O que não existe é o amor não correspondido. Muitas vezes as pessoas confundem as coisas. Eu, você, todos nós. Não somos bons em interpretar a realidade uma vez que vivemos as nossas próprias fantasias em nossas mentes e corações. Beijamos uma garota e achamos que encontramos o amor, quando o que ela sente pela gente pode ser um simples “amor de amigo”. E parece muito pouco, não é mesmo? Mas não é. Você ficar choramingando porque acha que encontrou a mulher da sua vida e ela não “o ama de volta” chega a ser patético.

Se há amor, ele é correspondido. Amor de amigo, amor pelo seu cachorro, amor por si mesmo. Todo tipo de amor é correspondido, muitas vezes em níveis confusos e desestruturados, mas há correspondência.  Simples assim.

Por isso antes de você berrar aos prantos e encher a sua página no facebook de frases de impacto sobre “o amor que eu sinto por você não é o amor que você sente por mim” pense duas vezes. Ás vezes, você ama a pessoa e ela também te ama, mas ela pode simplesmente ser uma grandessíssima filha da puta. E a culpa é dela? Certamente não. Quando você se envolve, tem que saber onde está se envolvendo. Nunca ame ninguém esperando que o amor irá curar tudo. O amor transforma e existem dois mundos grandes de diferença entre um e outro.

Você nunca pode culpar o outro por não sentir exatamente o que você sente por ele ou ela. Amor é muito mais do que isso, não é uma ciência exata nem uma obrigação. Amor é uma coisa única, excepcional. Então quando for choramingar aos quatro cantos do mundo e dizer que o seu coração foi partido por outra pessoa, saiba apenas disso: “Foi você mesmo quem partiu seu coração”. Bola pra frente.

E aí, gostaram? Quem quiser acompanhar esse serviço sem fins lucrativos mais de perto pode curtir a página e receber todas as novidades no Facebook: