Por: André Marques | 3 anos atrás

Pare o que estiver fazendo agora, vá ate alguma rede social e dê uma olhada em quantos amigos você tem lá. Se tiver 100 ou menos, existe uma chance de que você conheça todos eles. Porém, caso você tenha mais que 250 – como quase todo mundo no Facebook – a chance maior é de você não conhecer nem metade deles e possuir conexões extremamente menos consistentes com a metade que conhece.

É o que afirma o Número de Dunbar. De acordo com essa teoria social, desenvolvida por um professor de antropologia da Universidade de Oxford, Robin Dunbar, que afirma que o maior número de relacionamentos que podemos cultivar é de 150.

robin-dunbar

Robin Dunbar

Mas por quê?

Tudo se resume ao modo de como nossos cérebros estão conectados e também com a evolução das gerações através da história da sociedade. Um cérebro humano pode reconhecer até 1500 rostos, mas reconhecer alguém e lembrar seu nome não quer dizer que você vai tomar uma cervejinha depois do expediente com essa pessoa, se é que me entende.

Naturalmente, quanto mais pessoas você conhece e adiciona ao seu círculo social, mais seu cérebro trabalha para ‘catalogar’ os rostos, nomes, costumes e detalhes em geral dessas pessoas, como por exemplo a última vez que alguém te visitou.

16364-4-tarjetas-circulo-de-amigos

Hoje em dia, mesmo com os benefícios oferecidos pela tecnologia digital e de nosso costume de ir para ‘muito longe de casa’, a formula persiste. Dunbar diz que esse número pode crescer um dia, mas antes que isso aconteça, nosso cérebro precisa crescer também.

via Knowledgenuts