Por: João Marcos | 6 anos atrás

Por intermédio de um amigo meu, esbarrei com esse artigo escrito pelo Guilherme Nascimento Valadares lá para o site PDH. Leitura mais do que recomendada.

Jornada

Respirar e ter um saco entre as pernas é pouco.
Estamos aqui para viver… e morrer. Cada minuto em que nos esquecemos disso é jogado fora. Vazio.
Nossa existência… é abrupta.
Não há mapas.
Nem caminhos certos ou errados.

“Seja você mesmo” é história pra crianças.
No mundo real há escolhas.
Construa quem deseja ser.
Cada passo nos avança em uma direção cuja responsabilidade é nossa. De mais ninguém.
Não há garantia. Pra nada.

Somos os únicos artesãos de nossos dias.
Afie sua mente. Ela será o melhor aliado de seus instintos.
Faça silêncio, escute.
Respire.

Repetir ideias sem o exaustivo teste da prática é nos render a uma existência fácil.
Sendo assim, sorrimos para o embate. Ferocidade saudável nos mantém sãos.
O treinamento não cessa, nunca.
Somente em nossas covas.

Somos exploradores; não guardiões da moralidade e do correto.
Apreciamos o medíocre, o esplendoroso, o sombrio, o pitoresco, o belo, o misterioso, o hediondo.
Estamos aqui para expandir, sujar, contar, provocar, questionar, ofender, debater, dialogar, brigar, esmigalhar, refletir, semear, construir e crescer em conjunto. Continua e disruptivamente.
Engrandecemos aqueles à nossa volta, pois a conquista solitária é um prato frio, sem gosto.
Viemos todos da mesma merda.

Não perca tempo se justificando. Coloque o seu melhor na mesa.
Reclamar nos apequena, é fraco. Aja.
Seja o exemplo que deseja seguir.
Erre tanto quanto possível, aprenda sempre – mesmo quando acreditar não ver nada ali. Erre mais.

Pessoas não buscam o sentido da vida. Buscam a experiência de estar vivas.
Caminhar com propósito.
Ser homem é se tornar protagonista de sua própria história.
É jornada.
Legado.

Qual será o seu legado?

Qual é a sua jornada?

(…)