Por: Max Pires | 8 anos atrás

Já são mais de 505 hectares de área protegida, doados para a sociedade.

O Ministério do Meio Ambiente, através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (que foi desmembrado do IBAMA), acaba de emitir a averbação de mais uma unidade de conservação da natureza em Santa Catarina, Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) REFÚGIO DO MACUCO, de propriedade do casal Germano Woehl Junior e Elza Nishimura Woehl, fundadores e dirigentes do Instituto Rã-bugio (http://www.ra-bugio.org.br/), de Jaraguá do Sul.

A RPPN Refúgio do Macuco integra outras áreas de propriedade do casal já transformadas em RPPN que totalizam 505 hectares. Todas as RPPNs do casal Germano & Elza foram criadas a nível FEDERAL, que é um processo rigoroso e somente áreas comprovadamente bem preservadas são aprovadas, que passam a integrar o Sistema Nacional de Unidades de Conservação.

Localizada nas cabeceiras do rio Itajaí, em Itaiópolis, Planalto Norte Catarinense, a RPPN Refúgio do Macuco, recebeu este nome porque no local ocorre o macuco (Tinamus solitarius), uma ave muito rara e ameaçada de extinção. O macuco já foi extinto em muitas matas preservadas porque é uma ave muito visada pelos caçadores. Em Jaraguá do Sul, por exemplo, não existe mais.

Os atuais 505 hectares do casal são protegidos contra a ação de caçadores e furto de madeira com vigilância contratada, com a ajuda de recursos oriundos da doação do Banco HSBC (Instituto HSBC Solidariedade) que patrocina o Programa Desmatamento Evitado da ONG SPVS de Curitiba. São áreas muito valiosas porque além de abrigarem mamíferos e aves ameaçadas de extinção concentram uma enorme quantidade de madeira de grande valor comercial (canela-preta, araucária, peroba, cabreúva etc.).

Para compra das áreas preservadas foram utilizados recursos pessoais, das economias do casal Germano & Elza. É um esforço para salvar da devastação estas últimas áreas preservadas de Mata Atlântica, que prestam um serviço essencial para a população, já que protegem os recursos hídricos, a biodiversidade, evitam erosão e estocam carbono que se for liberado com o desmatamento agrava o problema do aquecimento global.

Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade
Jaraguá do Sul – SC
http://www.ra-bugio.org.br/