Por: Anderson Kreutzfeldt | 4 anos atrás
(Alex Klein, diretor do FEMUSC. Foto: Divulgação)

(Alex Klein, diretor do FEMUSC. Foto: Divulgação)

Duas semanas intensas como as do FEMUSC – 9º Festival de Música de Santa Catarina devem terminar em grande estilo. A última noite de apresentações, neste sábado (1º /2) é marcada pela ousadia: segundo o diretor Alex Klein, foi escolha dos alunos integrantes da Orquestra Sinfônica fechar o evento com a música do balé “Petroushka”, uma das obras mais difíceis de Igor Stravinsky. A noite terá ainda a participação do Grupo de Percussão do FEMUSC e mais uma edição do projeto “Orquestra sem Maestro”, sob comando do professor e violinista Leon Spierer.

Dois anos antes de chocar Paris com “A Sagração da Primavera”, Stravinsky compôs o balé “Petroushka”, a história de um fantoche que desenvolve emoções. O espetáculo foi criado logo após o estrondoso sucesso de “O Pássaro de Fogo”, também apresentado nessa edição do FEMUSC, e, segundo o próprio autor declarou no guia de balés de Cyrill Beaumont, se trata de uma composição na qual “uma imagem distinta de um fantoche, de repente, dotado de vida, exasperando a paciência da orquestra com cascatas diabólicas de arpejos. A orquestra, por sua vez revida com toques de trombeta ameaçadores”. A regerência será da maestrina Catherine Larsen-Maguire, da Komische Oper Berlin.

Do clássico ao contemporâneo, a noite de encerramento segue com “Apple Blossom”, do compositor norte-americano Peter Garland, com o Grupo de Percussão do FEMUSC. E, no fechamento, o violinista Leon Spierer, uma das grandes estrelas do Festival, retoma seu projeto “Orquestra sem Maestro” com “No Belo Danúbio Azul”, de Strauss, uma das valsas mais conhecidas do público em uma interpretação marcante.

Informações gerais sobre o evento, a relação de programas de ensino, séries a serem apresentadas e a grade de professores convidados estão disponíveis em www.femusc.com.br e pelos telefones (47) 3373-8652 e (47) 3275-2477.