Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

Duas consultoras convidadas pelo Ministério da Saúde e Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), as pediatras e professoras universitárias Maria Helena Ruzany (UERJ) e Maria Ignez Saito (USP), estiveram em Joinville nesta quarta-feira (28/5) para conhecer de perto o projeto Jovem Vencedor, desenvolvido pela Unidade de Saúde da Família do Jardim Sofia.

O projeto é um dos 18 finalistas da primeira edição do Laboratório de Experiências Inovadoras em Saúde do Adolescente, lançado pelo Ministério da Saúde, e pode virar referência nacional. Com uma série de ações, desde aulas de taekwondo à preparação e encaminhamento ao primeiro emprego, o projeto conseguiu reduzir em 90% as infrações cometidas por adolescentes no bairro Jardim Sofia.

O fato chamou a atenção das consultoras. “O que vemos aqui é que o jovem mudou. Vocês proporcionaram coisas que ele gosta de fazer, algo foi mudando dentro dele”, observou a consultora Maria Ignez Saito.

17-02-2011-19-09-02-prefeitura-12-5-10-rogerio-souza-

Primeiro, as consultoras assistiram a uma aula de taekwondo, realizada no salão da igreja Cristo Bom Pastor. Depois, participaram de uma roda de conversa com pais de crianças e adolescentes que participam ou já passaram pelo projeto, com o presidente do Conselho Local de Saúde Carlos Roberto Torrens e com a equipe da unidade de saúde. Informações sobre as ações do projeto e parceiros envolvidos foram apresentadas pela enfermeira da unidade de saúde e coordenadora do projeto, Célia Diefenbach.

A consultora Maria Helena Ruzany também observou o envolvimento da equipe da unidade de saúde no projeto também dos pais. “Fazer acontecer é difícil, portanto, o empenho do grupo faz toda a diferença, e o interesse da comunidade também”, destaca.

As duas consultoras coordenaram as primeiras unidade de atenção à saúde voltadas para adolescentes no país. A dona de casa Rosalba Marques contou que, por conta do projeto, sua filha Erika fez o curso oferecido pela Infraero para preparar para o primeiro emprego.

Pelas ótimas notas, ganhou um curso de secretariado empresarial e desconto de 50% em um curso de inglês. Na sequência, fez a prova do Enem e ganhou bolsa de 100% no curso de Administração de Empresas da Univille. Aos 19 anos, trabalha e está no terceiro ano do curso. “Sem o projeto, seria tudo mais difícil”, observa Rosalba.

Outros exemplos também surgiram na roda de conversa. Preocupado com o excesso de peso da filha Emanuele, de apenas seis anos de idade, Emanuel de Maia recebeu da unidade de saúde o encaminhamento para levá-la para as aulas de taekwondo. “Em apenas dois meses, ela emagreceu, e a disposição para brincar e fazer qualquer outra atividade mudou totalmente”, conta.

O professor de taekwondo e parceiro do projeto, Adenilson Moreira, lembrou que as crianças aprendem a respeitar a si mesmas e às outras pessoas. Contou que para mudar de faixa, desejo de todo aluno, é preciso passar em um teste onde os pais dão a nota.

Para passar no teste, as crianças precisam fazer coisas simples, como arrumar a cama, fazer a tarefa escolar e comer verduras, por exemplo. Para ele, um dos resultados mais importantes se reflete na evasão escolar. “Em quatro anos, a evasão passou de 18% para 4%”, comemora.

Por estar entre os 18 trabalhos finalistas, o projeto Jovem Vencedor será publicado no site do Ministério da Saúde. Os três vencedores vão parar em uma publicação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) e serão enviados para todos os municípios brasileiros. O resultado sairá até o final do ano.

O projeto Jovem Vencedor
Iniciado em 2010, o projeto Jovem Vencedor nasceu com a proposta de mudar uma realidade que ameaçava mais de 900 crianças e adolescentes com problemas com violência, infrações e drogas. A partir de então foram iniciadas ações articuladas integrando diferentes eixos: cultura, esporte, profissionalização, dança, cultura da paz, meio ambiente e saúde integral.