Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

1904156_1476205975926687_1789896634_n

Desde a implantação da proposta, em dezembro, a quantidade de reciclados passou de 3% para mais de 10% em Jaraguá do Sul

O Programa Recicla Jaraguá, implantado pela Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul, representada pelas Secretarias de Obras e de Administração, em parceria com a Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) no fim do ano passado, já conta com os primeiros resultados. De acordo com o presidente da Fundação, Leocádio Neves e Silva, a quantidade de reciclados passou de 3% em dezembro de 2013 para mais de 10%.

A estimativa é de Silva:

“Hoje, com o programa, a reciclagem aumentou de 150 toneladas por mês para 500 toneladas”.

O município gera um total de 2,6 mil toneladas de lixo todos os meses e, com o programa, há uma redução deste volume, aumentando a vida útil do aterro sanitário de Mafra, reduzindo as despesas da Prefeitura, além de aumentar a geração de empregos e renda na cidade e diminuir o impacto ambiental.

O programa prevê a distribuição de sacos plásticos com capacidade de 100 litros para o acondicionamento do material reciclável, que são recolhidos uma vez por semana pelo caminhão de coleta seletiva. Através do programa, a Prefeitura disponibilizará, nesta primeira etapa, cerca de 500 mil unidades de sacos plásticos. O objetivo do programa é garantir que não haja mais materiais recicláveis no lixo que é destinado para o aterro sanitário, o que corresponde a 32% do total.

A partir dos próximos dias, a Prefeitura intensificará a distribuição das sacolas. Segundo Silva, “a aceitação por parte da população tem sido tão significativa que será preciso aumentar as formas de distribuição, de modo a garantir que todos recebam sacolas para continuar com a separação”. Contudo, ele também destaca que mesmo que as pessoas não tenham a sacola verde, qualquer embalagem pode ser usada para acondicionar o material reciclável. “Pedimos que a população mantenha a mesma preocupação e a disposição que vem demonstrando até aqui”, pondera.

A coleta seletiva também recolhe o óleo de cozinha usado. Desde abril de 2013, quando este serviço foi colocado à disposição da população, até dezembro, foram recolhidos 6.880 litros, que deixaram de poluir os rios e o solo, ou prejudicar os sistemas de tratamento de esgoto. Outra vantagem do recolhimento é financeiro: a cada 10 litros de óleo entregues para processamento, um litro retorna à Fujama na forma de materiais de limpeza, que são distribuídos para entidades assistenciais do município.

Orientações: O saco serve para o acondicionamento de todos os tipos de materiais recicláveis, mas é preciso observar alguns cuidados: lavar as embalagens de alimentos, remover os resíduos e deixá-las secar. Qualquer tipo de contaminante inviabiliza o aproveitamento de todo o resto do material. Outro cuidado necessário envolve a questão da segurança, especialmente com materiais cortantes. Estes devem embalados cuidadosamente antes de serem colocados no saco e, sempre que possível, identificados. Quando o saco estiver cheio, basta colocá-lo na frente da sua residência para a coleta seletiva. O cronograma com os dias da semana e horário de recolhimento em cada bairro está disponível no site da Fujama (www.jaraguadosul.sc.gov.br/fujama). O óleo de cozinha também deve ser acondicionado. Mas neste caso, recomendam-se garrafas plásticas (tipo pet) que devem ser colocadas ao lado das sacolas de material reciclável.

Fonte: Prefeitura de Jaraguá do Sul.