Por: João Marcos | 5 anos atrás

2013_10_29_10_16_07_image

 

A primeira rua compartilhada do Brasil e o primeiro edifício verde de Santa Catarina são apenas alguns dos destaques da cidade Pedra Branca. O projeto do bairro sustentável nasceu em 1999 e já se tornou referência mundial. Criar um ambiente ideal para se viver e que não prejudica o meio ambiente foram os focos para elaboração do projeto.

Construído em Palhoça, o bairro Pedra Branca foi projetado em um conceito baseado no Urbanismo Sustentável – com infraestrutura de baixa emissão de gás carbônico e consumo de energia. Assim, as ciclovias por toda a localidade fazem da bicicleta o veículo prioritário para a população. Além das áreas verdes e espaços de lazer.

A incorporadora Pedra Branca, que pertence ao grupo imobiliário Portobello, é responsável pelo empreendimento que está entre os 18 projetos referência em sustentabilidade pela Fundação Clinton, do ex-presidente dos EUA, Bill Clinton. Em 1998, o terreno da construção abrigava a fazenda Pedra Branca, da família Ramos Gomes, e no total possui cerca de 250 hectares.

Segundo Valério Gomes Neto, diretor-presidente da incorporadora, o projeto segue os três Cs do urbanismo. “Compacta porque tem de ser vertical. O projeto não pode simplesmente enfileirar casas, uma ao lado da outra. Complexa porque tem que ter diversidade. As ruas devem integrar moradia, trabalho, estudo e lazer. E Completa porque é preciso ter todo este mix”, explica Valério.

A previsão de crescimento da cidade Pedra Branca é de 1,5 mil pessoas por ano. Em 15 ou 20 anos, a perspectiva é que a cidade tenha, em média, 40 mil moradores. Atualmente, o primeiro bairro planejado de Santa Catarina possui cerca de 60 empresas que geram cinco mil empregos. Uma universidade, parque tecnológico e incubadora também já atuam no local.

Valdir Tomazzi, diretor do Pedra Branca, afirma que o empreendimento já superou as expectativas. “Passamos por várias fases e cada uma delas foi importante para a consolidação do projeto”, destaca.

Daqui para frente, a prioridade para o empreendimento é a consolidação do novo centro do bairro-cidade. “O planejamento inclui dois lançamentos por ano, entre edifícios corporativos, para locação de lojas e de apartamentos”, explica Valdir.

 

Inovação e Sustentabilidade

Durante a implantação do projeto seguiu-se o conceito de novo urbanismo, em que incentiva o uso da bicicleta e a caminhada. Com prioridade para a valorização do meio ambiente, as construções e espaços são projetados para o bem-estar e lazer. As ruas foram construídas para que a população possa trabalhar, estudar e se divertir apenas com pequenas caminhadas, sem precisar percorrer grandes distâncias.

A rua compartilhada inaugurada neste ano, por exemplo, é a primeira no país. Com o nome Passeio Pedra Branca, é uma evolução do calçadão, já que além de permitir a passagem de bicicleta e pedestres, também permite o tráfego de automóveis.

O edifício comercial Office Green, que tem previsão de conclusão para o final deste ano, recebeu a pré-certificação de construção Leadership in Energy and Enveronment Design (Leed), do Conselho Sustentável dos Estados Unidos. Esta certificação deu ao edifício o título de primeiro prédio verde de Santa Catarina.

A Pedra Branca também conseguiu da Prefeitura de Palhoça permissão para administrar de forma autônoma o suprimento de água do bairro. “Com equipamentos e processos adequados, nosso índice de perda de água em Pedra Branca é de 11%, bem menor que a média brasileira e próximo dos padrões europeus”, garante Valério.

 

Cidade Universitária

Após a instalação de um campus da Unisul, vários estudantes se mudaram ou passaram a frequentar a Pedra Branca. Para Valdir Tomazzi a universidade foi a âncora do empreendimento. “É uma qualificadora do endereço pelo público que frequenta e formação que oferece. São mais de 30 cursos no campus da Pedra Branca”, finaliza o diretor.

Via Noticenter