Por: Max Pires | 8 anos atrás

Desde 29 de março, cerca de 30 presos condenados foram transferidos do Presídio Regional de Jaraguá para penitenciárias do Estado. Mesmo assim, a unidade continua com superlotação. “Estamos com 300 presos (estrutura é só para 76) e as transferências acontecem, mas o número de detentos não se reduz porque diariamente entram outros. Chegamos a transferir cinco em uma semana e recebemos sete”, exemplifica o novo diretor Cleverson Henrique Drechsler, que assumiu o cargo na semana passada. Ele é agente do Departamento de Administração Prisional (Deap) e estava como diretor interino do Presídio Regional.

Cleverson diz que a ordem do Ministério Público de Jaraguá do Sul para que o Estado transfira 200 presos condenados ainda não foi cumprida. O Estado recorreu da decisão e o processo está sendo analisado. “Mesmo com a ação tramitando na Justiça – depois que o Estado recorreu – estamos fazendo as transferências.”

Ele explica que assumiu a unidade com a missão de fazer melhorias. Uma das é a sala de revistas, que será construída no portão principal. “Isso vai ajudar a fazer vistoria de verdade nas pessoas e evitar que entrem objetos como celulares.” A obra será paga com o dinheiro do Conselho Penitenciário, que fica com 25% do valor recebido pelos trabalhos feitos, detentos na unidade. “É a lei que determina que o conselho fique com essa parte, e o objetivo é investir esse dinheiro em melhorias para a própria unidade”, explica Drechsler, dizendo que o projeto já está pronto e deve custar até R$ 27 mil, mas ainda está em fase de pesquisa do peso.

O novo diretor conta que, na sexta-feira passada, foi realizado um pente-fino na unidade e apreendidos alguns celulares. “Nada muito grave, mas já conseguimos retirar isso da mão deles. Dessa maneira, conseguimos manter tudo tranquilo.”

Outras melhorias, como o muro para ampliação da unidade e que está em construção, não têm data para conclusão. Também, pretende construir um berçário na ala feminina. O projeto deve ser colocado em prática assim que a sala de revistas estiver pronta. Atualmente, há um bebê de oito meses, que fica com mãe e as outras presas na ala feminina.

Via AN.