Por: Ricardo Daniel Treis | 19/09/2017

Texto por Rogério Talini – PMJS_

O grupo de trabalho criado na Prefeitura de Jaraguá do Sul para tratar da implantação de uma unidade de conservação do Morro Boa Vista, profissionais da Fujama, Amvali e representantes da Fundação de Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma), se reuniram na última sexta-feira (15), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito. O objetivo foi tratar da criação de uma unidade de conservação no Morro Boa Vista.

Gilberto Morsch (Fatma) avalia projeto. Foto: PMJS

A criação do grupo de trabalho foi uma solicitação do prefeito Antídio Aleixo Lunelli, que pretende implantar o parque ainda nesta gestão, e tem a participação de servidores de secretarias e diretorias ligadas diretamente ao assunto.

Conforme a bióloga da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente, Fernanda Miranda da Silva, o objetivo da reunião foi apresentar para parte do grupo de trabalho o levantamento topográfico feito na área de implantação da futura Unidade de Conservação (U.C) no Morro Boa Vista, bem como, discutir com os técnicos da Fatma qual a melhor modalidade de unidade a ser criada. “Até o momento, definido como Monumento Natural, devido a exuberância do local e a possibilidade de englobar terras públicas e privadas, além da facilidade para captação de recursos”, explica. Ainda segundo ela, a criação da unidade aumentará a proteção ecológica da área, trará melhorias para a exploração turística do local, além de fomentar o turismo ecológico na região.

INFRAESTRUTURA E PARTICIPAÇÃO
Durante a reunião, a Associação dos Municípios do Vale do Itapocu apresentou o projeto de infraestrutura do Morro Boa Vista, que contempla desde a pavimentação dos 1,4 mil metros de acesso desde a Chiesetta Alpina até as antenas, bom como a organização do espaço de telecomunicações, estacionamento e rampa para decolagens de parapentes e asas-delta.

Após a reunião na sede da Prefeitura, o grupo foi até o Morro Boa Vista para verificar a região de abrangência da unidade de conservação, que deverá ter a participação ainda dos municípios de Guaramirim e Massaranduba.

Diretor de Turismo mostra a região. Foto: PMJS

Já o gerente de Unidades de Conservação e Estudos Ambientais, Gilberto João Morsch, lembra que a criação da unidade não vai alterar em nada a relação com os proprietários de imóveis lindeiros à futura área de preservação. “E o monumento natural vai trazer mais visitantes, investimentos na área e o crescimento ordenado do turismo ecológico”. Neste sentido, a Diretoria de Turismo da Prefeitura de Jaraguá do Sul faz parte do grupo de trabalho que avalia as possibilidades para incremento das ações naquela área.

O grupo deve voltar a se reunir para dar continuidade ao assunto no próximo dia 6 de outubro, às 9 horas. O presidente da Fujama, Normando Zitta Junior, informou que irá pessoalmente à Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina nesta semana para verificar os caminhos legais para a criação da unidade.