Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Isso é em Joinville:

A direção do Hospital São José e a Secretaria Municipal da Saúde buscam soluções para a infestação de pombos, descoberta na parte superior do prédio da unidade de saúde. As fezes das aves contêm um fungo – o Criptococus neofarmans – que provoca doenças, como a meningite. Hoje, serão acionadas a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, Fundema e a Vigilância Epidemiológica para analisar a situação, orientar sobre prevenção e indicar a melhor forma de afastamento das aves. É importante lembrar que não é recomendado o abate precoce, tampouco a uso de métodos que possam ferir os animais. Qualquer tipo de manifestação nesse sentido configura crime ambiental. Os métodos indicados são preventivos. Segundo o diretor executivo, Fabricio Machado, é importante que a comunidade ajude, evitando alimentar os pombos. “Isso ajudará a evitar a proliferação das aves”, alerta.

Que ‘cês acham dessa política de “não ferir”? Tá me soando como exagero do comportamento politicamente correto. Matar um rato com veneno ou ratoeira pode, mas pombo não? Traça a diferença moço, já que pombo também é ameaça e praga.

E ó, se for o caso, ratos também podem ser bonitinhos…

Wahaha, apelei.