Por: João Marcos | 6 anos atrás

Adolescente infrator, já havia sido internado sem sucesso em um reformatório, continuou cometendo seus delitos então uma atitude correta extrema. As autoridades alemãs enviaram o jovem de 16 anos à Sibéria para que ele “aprenda a viver”.

Os serviços sociais do estado federal de Hesse (centro de reabilitação) o enviaram por nove meses, a Sedelnikovo, uma remota localidade da Sibéria, em uma zona “pobre e desprovida de produtos de consumo”, onde o jovem tem que construir com seus próprios meios um abrigo e cortar árvores para fazer fogo e se proteger do inverno que chega a 55 graus abaixo de zero.

“Não se trata de uma punição, e sim de uma experiência educacional”, explicou Stefan Becker, dos serviços sociais de Giessen, em Hesse.

Segundo a imprensa, o custo da “reeducação” do adolescente, que foi supervisionada pelas autoridades alemãs, foi de 150 euros (cerca de R$ 393) por dia, ou seja, um terço do que custaria mantê-lo num estabelecimento especializado na Alemanha.

Uma boa para se pensar no Brasil, solta essa gurizada no Amazonas, no Acre seilá pra onde, mas com certeza o lugar deles não é nas ruas. Um país onde uma criança pode assassinar e vender drogas que é protegida por direitos humanos, e um pai que aumenta o tom de voz para o filho é considerado delinquente, acredito que essa seja uma medida muito distante de ser tomada (infelizmente).

G1