Por: Ricardo Daniel Treis | 8 anos atrás

 

Lembra que sua mãe sempre limpou o banheiro da sua casa com Q-Boa e já tava mais que bom? Lembra que teve um tempo que você só usava uma Kolynos brancona pra escovar os dentes e tava tudo fresco? Lembra daquele seu amigo que comia barro no jardim e nunca deu nada com ele? Bãozi, se você amado leitô não faz idéia do que estou falando, fica o testemunhal: Ricardo Daniel Treis presenciou esses dias, e olha só, sobreviveu de bo-a.

Discordem de minha objeção, porém se não como um ser humano respeitável, o diploma de publicitário (traíra) me dá liberdade suficiente para a crítica: em que inferno frutinha a propaganda quer converter o mundo? Percebam nos breaks de 30 segundos a tela plana LCD escorrendo paranóia gratuita, só para a venda de mais um diferencial dispensável.

“Você sabia que existem 12 problemas bucais?”, “Você sabia que seu filho pode ser possuído por germes se não usar nosso sabonete?”, “Você sabia que bactérias carnívoras estão colonizando seu vaso sanitário?”, “Você sabia que sua casa fede?” Admito o exagero nas expressões, mas uso ele para ilustrar e justamente questionar a responsabilidade desses imbecís, que minuto a minuto empurram uma imagem circunstancial forçada, apenas para conquistarem relevância nas (já saturadas por eles mesmos) prateleiras de supermercados.

Pais passam a criar os filhos em bolhas de proteção, você nunca pode achar que seus dentes estão escovados bem o suficiente e a dona de casa, por mais que esfregue o chão, ainda não está fazendo direito. Mas se a vida parece insatisfatória, a culpa não é sua. Lembre-se do anunciante irresponsável, é ele quem promove um mundo bundinha e complicado. 


Conste, o gatilho do texto acima foi a matéria “Os perigos que o beijo na boca pode trazer à saúde” que recentemente encontrei num jornal por aí.