Por: João Marcos | 6 anos atrás

Foi a única definição que encontrei para isso. Alguém além do médico e do farmacêutico consegue entender o que está escrito nas receitas? E olha que eu me esforcei. Lógico não podemos generalizar, dizer que todos os médicos escrevem de tal forma, mas foi só uma questão que levantei essa semana quando tive em mãos uma receita. Resolvi então procurar se havia uma explicação “científica” para isso, e não é que achei lá na ME. Achei válido o compartilhamento para o fim de matar a curiosidade:

 …há teorias sobre a origem do mito. Uma diz que, antigamente, quando não existiam laboratórios farmacêuticos, médicos faziam prescrições que só os boticários conseguiam decifrar. Assim, evitavam que o paciente se arriscasse fazendo o próprio remédio. Outra afirma que a pressa para anotar as aulas na faculdade causaria a letra ruim. Uma terceira é a de que, no passado, a maioria dos doutores eram homens – e eles normalmente teriam a letra pior do que a das mulheres.

No Brasil, uma lei federal, uma portaria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Código de Ética Médica exigem que as receitas devem ser legíveis. Se você se sentir lesado, denuncie ao Conselho Regional de Medicina – mas acho que isso não é o caso também né.

Se fosse assim, quantos professores teriam se sentido lesados com minhas provas e redações escritas? E cá pra nós, eu sei que não sou só eu.