Por: Gabrielle Figueiredo | 03/09/2015

Segue artigo publicado no site da revista Galileu

O dia foi estressante – e você está sonhando com um hambúrguer para o jantar, além de comer chocolate durante a tarde inteira. Esse cenário é familiar? É por que o estresse altera a atividade cerebral, especialmente em regiões do cérebro envolvidas na forma com que tomamos decisões.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Um novo estudo, feito pela Universidade de Zurique, analisou 51 homens que, na maior parte do tempo, comiam de forma saudável – porém não tinham restrições formais a porcarias uma vez ou outra. Alguns dos homens passaram por um teste de estresse, fazendo com que eles colocassem a mão em uma bacia de gelo enquanto eram filmados. A outra parte do grupo colocava a mãe em água morna e não era filmada.

Depois os dois grupos passaram por exames de ressonância enquanto precisavam escolher o que queriam comer. Os homens do grupo do gelo apresentaram uma probabilidade maior de escolher algo mais gostoso em detrimento de escolhas saudáveis.

Estudos anteriores mostraram que comer alimentos com uma maior quantidade de sabor (possivelmente sabores artificiais) nos ajuda a amenizar o estresse psicológico, já que o nervosismo aumenta o impacto da sensação de recompensa que temos ao caprichar na gordura.